Você confunde cabelo seco e cabelo ressecado? Eles são realmente parecidos, mas surgem por motivos diferentes. O cabelo seco é determinado por uma característica hereditária. “Eles não são sedosos e são opacos devido à produção reduzida de gordura pelas glândulas sebáceas do couro cabeludo”, explica a dermatologista e tricologista Angélica Pimenta, da Sociedade Brasileira de Dermatologia. “Uma característica do cabelo seco é o fato das escamas que compõem a camada externa dos fios abrirem-se mais facilmente, deixando o cabelo mais vulnerável aos agentes externos, como poluição, vento, sol e processos químicos, como as tinturas e os permanentes”.

Já o ressecamento é um problema que pode afetar qualquer tipo de cabelo, do seco, misto, oleoso ao normal, é aquele que sofre os efeitos de agentes externos e em geral está recebendo pouca hidratação. O cabelo ressecado pode ter sido submetido a algum tipo de química ou pode estar saturado pelo uso constante de pranchas e secadores. No entanto, os dramas do cabelo seco e do ressecado são parecidas: volume fora de controle, com frizz, fios quebradiços, pouco brilho, pontas duplas e fios difíceis de pentear. Mas alguns cuidados básicos ajudam a domar as madeixas e torná-las bonitas e saudáveis.
Hidratantes

Leia também:  Confira modelos de faixas coloridas para bebês | Moda e Beleza

Você pode até usar xampu e condicionador potentes, mas nem sempre isso é suficiente para ter cabelos saudáveis. Com tantas agressões externas, como sol, poluição e tratamentos químicos, a hidratação dos cabelos passou a ser fundamental na rotina de qualquer pessoa que deseje ter fios brilhantes e sedosos. Quem tem cabelo seco, deve usar e abusar das hidratações, já que a técnica ajuda a devolver aos fios secos a umidade que eles, por determinação genética, não tem. Angélica Pimenta explica que o procedimento deve ser feito com máscaras e soluções concentradas, nutritivas e umectantes. “Hoje existem produtos maravilhosos, enriquecidos com aminoácidos, ácidos graxos, proteína e queratina, o ideal é sempre usar produtos profissionais e com pH adequado”.

“As hidratações podem ser feitas uma vez por semana ou a cada vinte dias, dependendo do estado dos fios”, conta a cabeleireira Marília Kikuchi, técnica de beleza da Condor. Ela explica que o ideal é sempre ir a um profissional para aplicar a técnica, mas a hidratação caseira também pode ser uma excelente aliada, principalmente para quem vive na correria.

Leia também:  Conheça a tendência sereísmo 2017 | Moda e Beleza

Ampolas de hidratação

A hidratação é realmente indispensável para ter cabelos lindos, mas quando falta tempo, as ampolas de hidratação, que agem em poucos minutos, podem ser uma boa solução. Elas são usadas durante o banho, substituindo o condicionador, e em cerca de três minutos a fórmula apresenta resultados parecidos com os da hidratação convencional. A dermatologista e tricologista Angélica explica que as ampolas de hidratação têm alta concentração de vitaminas e componentes hidratantes e por isso são eficientes. Elas podem ser usadas no lugar do condicionador uma vez por semana.

O tricologista Luciano Barsanti, diretor do Instituto do cabelo, de São Paulo, faz a ressalva: “quando o cabelo é muito ressecado ou possui muita química, o ideal é optar por máscaras de hidratação que ficam no cabelo por mais tempo, penetram nas camadas mais profundas do fio e são mais bem absorvidas”.

Óleos essenciais

Os óleos essenciais para os cabelos são a última aposta dos grandes fabricantes de cosmético. A promessa é de um cabelo mais nutrido e sedoso. A cabeleireira Marília Kikuchi explica que esses produtos conseguem de fato reter a umidade dos fios, ajudando na hidratação, mas que vale dar preferência aos óleos de coco e abacate, que são ricos em vitaminas e ácidos graxos, proporcionando uma maior hidratação. Além disso, os óleos essenciais também ajudam a tirar o frizz dos cabelos e disfarçam as pontas duplas.

Leia também:  Conheça a tendência sereísmo 2017 | Moda e Beleza

Corte mais frequente

Todo cabelo precisa de corte pelo menos a cada três meses, mas os cabelos secos provavelmente precisarão encarar as tesoura com frequência ainda maior. “O corte deve ser feito sempre que as pontas estiverem danificadas, independente do tipo, pois pontas duplas, enfraquecidas e quebradiças não podem ser recuperadas”, explica Angélica Pimenta. Quem tem cabelo seco vai se deparar com o problema mais rápido, já que o cabelo seco tem maior propensão ao desenvolvimento de problemas estéticos. A cabeleireira Marília Kikuchi complementa: “pontas saudáveis otimizam a hidratação, pois permitem que os hidratantes sejam absorvido de maneira mais eficiente”.

Advertisements

Comentários

*Os comentários aqui publicados são de responsabilidade dos usuários e não representam a opinião do site.