A Justiça converteu em prisão preventiva o flagrante do autor do assassinato de uma mulher com requintes de crueldade, na cidade de Paranatinga (373 km ao Sul), ocorrido na quarta-feira (11). O suspeito, Joilton Caetano da Fonseca, 44 anos, foi flagrado por policiais da Delegacia da Polícia Civil, colocando fogo no corpo da vítima, Eniria de Souza Amorim, 46 anos.

A mulher foi morta a facadas e teve as mãos decepadas. Depois o criminoso fez uma incisão no tórax e retirou os órgãos internos. Na delegacia confessou que “matou porque estava com raiva” da companheira com quem tinha brigado. O preso foi indiciado no crime de feminicídio – assassinado motivado pelo fato da vítima ser mulher – destruição de cadáver e posse ilegal de munições.

Leia também:  Indígena é morto a tiros no bairro Primavera 3

O delegado de Paranatinga, Bruno de Moraes Carvalho, disse que a equipe foi enviada ao assentamento Boa Vista, distante 200 quilômetros da cidade, para apurar denúncias da morte de uma mulher. Acompanhados da Politec, os policiais quando chegaram ao local flagraram o suspeito colocando fogo no corpo da vítima.

“A denúncia que uma mulher havia sido vítima de homicídio chegou, mas ninguém achava que o suspeito estaria ainda no local. O inquérito está praticamente finalizado e devo pedir um exame de sanidade mental do suspeito”, o delegado.

Dentro da casa, os policiais apreenderam 6 cartuchos de 16 carregados, 1 cartucho calibre 16 e outro de 36, vazios.

O preso encontra-se recolhido na cadeia pública do município.

Leia também:  Câmara aprova projeto obrigando município a transmitir "ao vivo" as licitações
Advertisements

Comentários

*Os comentários aqui publicados são de responsabilidade dos usuários e não representam a opinião do site.