A 67ª edição do Campeonato Intercolonial Brasileiro de Tênis de Mesa ocorrerá nos dias 20, 21 e 22 de janeiro, no Ginásio Poliesportivo Professor Aecim Tocantins, em Cuiabá (MT), com 400 desportistas vindos de 9 unidades federativas. E o evento, que nesta edição é organizado pela Federação Mato-grossense de Tênis de Mesa (FMTTM), conta com a participação de dois atletas de seleção brasileira, Silnei Yuta e Edson Fumihiro Takahashi. O público terá entrada gratuita!

De acordo com o presidente da FMTTM, Sandro José Abrão, o intercolonial brasileiro é tido pela modalidade como a maior competição do tênis de mesa de toda América Latina. Segundo ele, por conta desse prestígio que a 67ª edição receberá atletas de vários cantos do país. Estarão representados os estados de São Paulo, Rio de Janeiro, Santa Catarina, Rio Grande do Sul, Goiás, Espírito Santo, Mato Grosso, Mato Grosso do Sul e o Distrito Federal.

Leia também:  União volta a jogar sábado pelo Sub-19

“O certame foi criado em 1951 por Haruo Mitida. Com o objetivo de fomentar a integração de japoneses e descendentes residentes no Brasil. Mas atualmente os gaijins, como são chamados os não japoneses, também podem participar. O intercolonial é uma mistura de competição de alto nível com confraternização familiar. Teremos atletas que já disputaram mais de 20 ou 30 edições e que tem filhos e netos na competição”, disse Sandro Abrão.

Silnei Yuta foi membro da seleção brasileira na década de 90. Jogou profissionalmente por cerca de 30 anos e se tornou bi-campeão Pan-Americano por equipes com a seleção brasileira (1991 em Havana e 1995 em Mar Del Plata). E foi 17 vezes campeão do intercolonial, só nas categorias individuais, sem contar resultados em duplas ou por equipes. Venceu duas vezes na categoria infantil, quatro na geral, três na especial, cinco na pré-sênior e três na sênior.

Leia também:  Acontece nesse final de semana 1º Torneio de Férias de Vôlei no Ginásio Municipal de Jaciara

Estrutura

Parte dos equipamentos de tênis de mesa que serão utilizados no intercolonial, como redes, suportes, separadores, piso, cadeiras de arbitragem, mesas de arbitragem e mesas de jogo, são oriundos dos Jogos Olímpicos Rio 2016. Os apetrechos olímpicos foram doados no fim do ano passado, pela Confederação Brasileira de Tênis de Mesa (CBTM) para a Federação Mato-grossense de Tênis de Mesa (FMTTM), com o intuito de fomentar a modalidade em MT.

Bastidores

O 67º Campeonato Intercolonial Brasileiro de Tênis de Mesa tem patrocínio do Governo do Estado de Mato Grosso e apoio da Prefeitura Municipal de Cuiabá e das empresas Net TV, Moda Verão e Moto Raça Cuiabana.

Leia também:  Com a demissão de Ceni, São Paulo vai completar 16 técnicos em 8 anos
Advertisements

Comentários

*Os comentários aqui publicados são de responsabilidade dos usuários e não representam a opinião do site.