Imagem: drag queens é barrado em shopping
Foto: Curso de Drag Queens/Arquivo pessoal

Um grupo de drag queens foi barrado na entrada de um shopping na Zona Leste de São Paulo neste domingo (29). O shopping Penha lamentou o ocorrido e disse que foi um “fato isolado.
O grupo, formado por 9 pessoas, saiu de um curso de drag queen, por volta das 16h e pretendia almoçar na praça de alimentação do shopping. Os seguranças, então, disseram que o grupo não podia entrar usando “maquiagem forte”, segundo as drag queen.

De acordo com o professor Paulo Sérgio Lima Viana, eles foram vestidos com as roupas do curso e maquiados porque seria um almoço rápido e porque precisavam devolver o teatro onde o curso era realizado. “Como pode impedir a entrada de pessoas maquiadas? Quantas mulheres ali estavam maquiadas?, questionou.

Leia também:  Mulher é presa por suspeita de tráfico de crianças no Paraná

Depois, o gerente dos seguranças foi à porta do shopping, segundo post em rede social do grupo, e disse que eles não poderiam entrar porque era lei.

“O gerente de segurança apareceu e disse-nos que era uma lei. Quando exigimos que ele mostrasse-nos a tal lei, ele argumentou sobre a proibição de capacetes e elementos que omitam o rosto, como máscaras. Em seguida, tentando se justificar dando exemplos, quis nos separar, deixar só as drags mais femininas entrarem, me olhou e disse que eu não entraria por ter bigode… Oi?”, diz post no Facebook.

Diante do impasse, eles chamaram a Polícia Militar e, pouco tempo depois, a entrada foi permitida. Ainda de acordo com o grupo, os policiais disseram que não se tratava de homofobia.

Leia também:  Camarote desaba em show de Ivete Sangalo e fere 60 pessoas

A Polícia Militar, por meio de sua assessoria de imprensa, informou que está analisando o fato. O caso foi registrado como desinteligência.

Advertisements

Comentários

*Os comentários aqui publicados são de responsabilidade dos usuários e não representam a opinião do site.