Imagem: miss sofreu ataques de ácidos e pode ficar cega
Foto: Reprodução

Gessica Notaro, de 28 anos, tornou-se mais um símbolo da luta contra a violência de gênero na Itália, crime que matou mais de 50 mulheres no país ao longo de 2016, desde crianças a idosas.

Notaro foi internada em estado gravíssimo em um hospital de Cesena, no leste da península, após ter sofrido um ataque com ácido de seu ex-namorado, um cidadão de Cabo Verde, na África, chamado Jorge Edson Tavares, de 29 anos.

Notaro foi internada em estado gravíssimo em um hospital de Cesena, no leste da península, após ter sofrido um ataque com ácido de seu ex-namorado, um cidadão de Cabo Verde, na África, chamado Jorge Edson Tavares, de 29 anos.
A vítima teve queimaduras profundas no rosto, principalmente na região dos olhos, e corre o risco de perder a vista. Notaro é originária de Rimini, na Emilia-Romana, e foi eleita miss dessa região setentrional do país em 2007, mesmo ano em que foi finalista do Miss Itália.

Leia também:  Criador de píton é encontrado estrangulado ao lado de cobra no Reino Unido
Imagem: ela passou a trabalhar como adestradora de leões marinhos em um aquário
Foto: Reprodução

Depois dos concursos, ela passou a trabalhar como adestradora de leões-marinhos em um aquário de Rimini e chegou a ter experiências televisivas na emissora pública Rai e na rede privada Mediaset , de propriedade do ex-primeiro-ministro Silvio Berlusconi.

Aos investigadores, acusou o ex-namorado de ter jogado ácido em seu rosto na porta de sua casa, embora o cabo-verdiano jure inocência. Segundo Tavares, no momento do crime ele estava com outra mulher na cidade vizinha de Cattolica. Enquanto isso, o suspeito cumpre prisão preventiva em uma penitenciária da região.

Advertisements

Comentários

*Os comentários aqui publicados são de responsabilidade dos usuários e não representam a opinião do site.