Imagem: maestro joão carlos martins.
Reprodução

Internado no Hospital Sírio-Libanês, o maestro João Carlos Martins disse que por causa da embolia pulmonar terá de ficar cinco dias em observação e não poderá participar da cerimônia do hino nacional no jogo entre Brasil e Colômbia, na noite desta quarta-feira (25), no Estádio Nilton Santos, o Engenhão, no Rio. Ele iria reger os músicos que vão executar os hinos no chamado “Jogo da Amizade”, em homenagem às vítimas da tragédia com o avião da Chapecoense.

Martins também cancelou a apresentação que faria na manhã desta quarta no Theatro Municipal de São Paulo. O maestro explicou que sofreu uma trombose, um coágulo no pulmão que levou a uma leve embolia pulmonar. “Não foi tão grave”, disse. Ele está no quarto e tem previsão de alta em cinco dias.

Leia também:  Ana Vitória, Tiago Iorc, Marília Mendonça e Simone e Simaria são indicados ao Grammy Latino

O maestro disse que tem tendência a ter coágulos no corpo. “Quando tinha 26 anos cheguei a ficar 60 dias em um hospital por causa de embolia pulmonar”, afirmou.
Diretor artístico e maestro da Bachiana Filarmônica Sesi-SP, o maestro João Carlos Martins é considerado um dos maiores intérpretes de Johann Sebastian Bach e teve como um dos pontos altos de sua carreira a gravação da obra completa para teclado deste gênio da música.

Logo depois, devido a problemas físicos (perda parcial dos movimentos das mãos), teve que abandonar a carreira de pianista, canalizando para a regência sua paixão pela música.

Advertisements

Comentários

*Os comentários aqui publicados são de responsabilidade dos usuários e não representam a opinião do site.