Imagem: Fachada secretaria de Educacao
Foto: Reprodução

Uma comissão de Pais da Escola Municipal de Educação Infantil Mateus Vinicius Braz localizada no bairro Jardim Brasília em Rondonópolis, vai recorrer ao Ministério Público, alegando serem contra a nomeação da coordenadora para a direção da entidade. Segundo a Comissão de Pais, a Secretária Municipal Educação, Carmem Garcia Monteiro, garantiu aos pais que ela não seria a indicada ao cargo e que até mesmo um nome de fora da comunidade escolar poderia ser nomeado para trazer consenso a escola.

Segundo os pais, eles são contra a saída da ex-diretora Rosemeire Lucas Barretos, alegando que ela teve serviços prestados a comunidade escolar e um bom trabalho com o corpo discente e docente “Não queremos que ela saia, mas deixamos aberto para ela escolher outra pessoa, mas na segunda-feira a secretária nomeou a coordenadora e voltando atras na garantia que nos deu” explica.

Leia também:  Modo de encantar clientes da Disney será tema de palestra da CDL

A Secretaria de Educação, em entrevista com o AGORA MT, informou que não fez acordo nenhum com os pais. “Eu não fiz acordo nenhum com os pais, na ata inclusive não tem registros desse acordo, quando eu fui procurada eu perguntei se existia alguma reclamação da gestão da coordenadora documentado, eles me responderam que não e eu não posso trabalhar com fala sem registros formais” afirmou.

Áudio da Reunião no momento da leitura da ata e os fatos que aconteceram.

A Comissão de Pais já encaminhou os documentos para um advogado que está cuidando do caso e vai acionar a justiça através de um mandado de segurança, para que sejam apresentadas à comunidade e então seja feita a escolha democraticamente. A escola não teve eleições para diretor e por esse motivo o cargo é ocupado por indicação.

Leia também:  Aula inaugural do Cursinho Pré-vestibular Zumbi dos Palmares é nesta segunda

A Secretaria Carmem disse que o parágrafo 3º da Lei alega uma Gestão democrática, e quando não existe eleições, o Conselho reuni a comunidade escolar faz, uma ata e indica três nomes. Daí então o Conselho da escola encaminha para secretaria de educação e a gestora nomeia um dos três.

“Me enviaram apenas dois nomes, o da ex-diretora Rosemeire e o da coordenadora, como a Rose não poderia tomar posse pois já tinha quatro mandatos e não havia documentos formais que comprovassem a gestão ruim da Coordenadora, então eu a nomeei”. Disse Secretária.

Uma das integrantes da Comissão de Pais alegou que é contra a nomeação da coordenadora,  pois eles estariam insatisfeitos com sua gestão de 45 dias da escola, devido a licença médica da ex diretora. “Faltava tudo lá, eu sou mãe, quero o melhor para o meu filho, faltava comida para os alunos, material para limpeza e a escola estava toda suja, os banheiros, o pátio. Não aprovamos” afirmou a mãe.

Leia também:  Avenida Amazonas será bloqueada nesta terça-feira (13) para passagem de adutora

“A lista tem sim a assinatura dos pais, mas a lista pede pela permanência da ex diretora e não que são contra a coordenadora por ela ter cometido irregularidades, a não ser que eu receba uma ordem judicial para que eu mude, eu não pretendo trocar a nomeação”. Finalizou a Secretária.

Advertisements

Comentários

*Os comentários aqui publicados são de responsabilidade dos usuários e não representam a opinião do site.