Entra prefeito, sai prefeito e o grupo que é dono da empresa de Transporte Coletivo Cidade de Pedra, começa a pressão e porque não dizer chantagem para convencer o gestor municipal a aumentar tarifas e facilitar a vida, ainda mais, do grupo que já opera um monopólio há mais de 30 anos na cidade.

Agora a empresa volta as manchetes e tenta convencer a opinião pública com a conversa de que os custos estão acima do limite, que não compensa mais operar em Rondonópolis.

Será que nos últimos 30 anos a empresa não obteve lucros, qual empresário em sã consciência trabalha anos a fio sem ter lucro? Os moradores mais antigos vão se lembrar por exemplo da semanada, onde a empresa foi acusada de repassar ao prefeito da época uma quantia semanal, sendo assim, sobrava dinheiro, já que ele teria sido distribuído aos detentores do poder.

Leia também:  Taques diz que deputados flagrados recebendo dinheiro choraram

Ônibus sucateados, linhas sempre com atrasos, são alguns dos problemas, mas o monopólio continua. Há quem interessa manter a Cidade de Pedra como concessionária do serviço de transporte público de passageiros?

Bom deve haver muitos interesses, pois na última semana foram muitos os que se interessaram em resolver o problema da empresa. Enquanto isso, o serviço que é público continua a ser de qualidade duvidosa e o usuário continua a pagar por algo que não lhe parece correto.

Vamos aguardar para saber quem vai sair ganhando com mais este jogo político.

Advertisements

Comentários

*Os comentários aqui publicados são de responsabilidade dos usuários e não representam a opinião do site.