Já estamos em 2017, em nossa cidade assumiu um novo prefeito e as expectativas a respeito da gestão do prefeito Zé Carlos do Pátio são grandes.

Isso porque o seu primeiro mandato não teve grandes avanços, quer seja pela burocracia inerente a gestão pública, quer seja pela falta de tato político. Em segundo, pela forma triste em que o seu ciclo se encerrou, já que teve o seu mandato cassado pelo Tribunal Regional Eleitoral de Mato Grosso. Decisão está que fora posteriormente reformada pelo Tribunal Superior Eleitoral, gerando uma sensação de injustiça, especialmente por parte do prefeito e seus eleitores.

Confesso que estou surpreso e esperançoso com os primeiros atos do novo gestor. O prefeito eleito, ao que parece, tem corrigido os erros da gestão passada e vem tentando aglutinar todas as forças para que possa fazer um bom mandato, legitimando assim os votos que lhe foram conferidos.

Se no primeiro mandato, a falta de habilidade política lhe conferiu certo isolamento, o que acabou gerando prejuízos ao munícipio ante a falta de repasses tanto federais como estaduais. Nesse segundo mandato, o que se vê é que o prefeito eleito antes mesmo de tomar posse, já tratou logo de se reunir com a bancada de deputados federais e senadores de nosso estado, em busca de emendas para nosso munícipio.

Vejo tal atitude, como um grande avanço e amadurecimento político, visto que, em especial os senadores Wellington Fagundes e José Medeiros foram adversários políticos do atual prefeito, o que não serviu de barreira para o encontro, demonstrando que as desavenças políticas foram deixadas de lado em busca do melhor para o munícipio.

Outro fato que tem causado grande destaque na imprensa e nas redes sociais são as nomeações dos secretários municipais. Alguns destes, por conta de seus antecedentes criminais, estão sendo rechaçados pela população.

Particularmente, entendo a revolta da população, mas por outro lado, não vejo como óbice, o fato de alguém que já cumpriu a sua pena ou que responda ação penal assumir um cargo público, afinal a presunção de inocência é princípio basilar de um estado democrático de direito. Vale dizer ainda, que cumprida a pena, qual seja ela, é preciso dar uma segunda chance, caso seja o indivíduo capacitado tecnicamente, para assumir o cargo indicado. Assim, vejo as nomeações, como um ato de grandeza do prefeito, o que não quer dizer que, não devemos todos nós ficarmos atentos aos passos dos novos secretários.

Outro fato político que me chamou a atenção e me deixou também esperançoso, foi a eleição para a Mesa da Câmara Municipal de Rondonópolis. Havia um acordo político, para que, um vereador apoiado pelo prefeito, vencesse a eleição. Nos últimos momentos, fora formada uma chapa adversária que acabou vencendo aquela apoiada pelo prefeito.

Vejo tal insurgência como positiva. Uma Câmara de vereadores que esteja intimamente ligada ao prefeito, não fiscaliza como deve e não ajuda o Executivo a corrigir as falhas durante a gestão. É importante que os vereadores, de forma sábia, fiscalizem os atos do executivo, para que possam ajudar o prefeito a fazer o melhor pelo nosso munícipio. Deve o prefeito Zé Carlos agradecer, pois um governo só caminha bem, se tiver uma oposição e uma fiscalização austera.

Bom é isso, vamos aguardar os próximos passos, tanto do prefeito, como dos vereadores, pois cabe a cada um de nós, fiscalizar, denunciar e acompanhar os atos de nossos representantes, eis que, qualquer desacerto, reflete diretamente na sociedade em que vivemos.

COMPARTILHAR

Comentários

*Os comentários aqui publicados são de responsabilidade dos usuários e não representam a opinião do site.