A vida do servidor público municipal de Santa Rita do Araguaia, não tem sido nada fácil neste início de ano. Tudo porque a gestão do ex-prefeito, João Batista Gomes (PSDB) deixou um problema para aproximadamente 72 funcionários, que tiveram os seus nomes negativados por falta de pagamento das parcelas do meses de novembro e dezembro de 2016. “Além dos funcionários com nomes negativados por conta dos consignados, ainda há outros que passam pela mesma situação por conta do atraso das mensalidades do plano de saúde”, revelou um funcionário prejudicado ao AGORA MT, que pediu para manter seu nome em sigilo.

O atual Secretário de Finanças da Prefeitura, José Alves Gonzaga, atual, emitiu uma nota oficial ao AGORA MT, declarando que A Caixa Econômica Federal se disse impedida de renovar o convênio com a prefeitura, devido à falta de repasse ao banco dos empréstimos consignados feitos pelos funcionários, deixando inclusive todos os servidores públicos que acessaram este serviço do banco com restrições para novas operações de crédito.

Leia também:  Vereadores recebem projetos de lei da Prefeitura para implantação de cursos da Unemat em Rondonópolis

Na Caixa Econômica Federal, constam parcelas em atraso dos empréstimos referentes aos meses de novembro e dezembro. Segundo a assessoria da atual prefeita, Tânia Maria Toledo Salgueiro (PSD), as parcelas em atraso foram descontas do pagamento dos funcionários, mas não chegaram aos cofres da Caixa para saldar os empréstimos dos funcionários

Imagem: Santa Rita
Reunião com os Servidores Públicos de Santa Rita do Araguaia. Foto: Assessoria

Na tarde desta quinta-feira (19), o Secretário de Finanças José Alves e o advogado Marlon Arthur Paniago de Oliveira, que participou do encontro a pedido dos funcionários, foram esclarecidas as dúvidas dos servidores prejudicados.

Imagem: Reunião Sta Rita
Reunião com os Servidores Públicos de Santa Rita do Araguaia: Foto: Assessoria

Segundo o advogado, a equipe de finanças e do jurídico da, estão estudando uma forma rápida e eficaz de resolver o problema. “Uma das medidas em análise envolve conseguir que a Justiça libere a prefeita pagar essa dívida utilizando o orçamento da atual gestão, mesmo sendo os débitos de responsabilidade do gestor anterior” explica o advogado, Marlon Arthur.

Leia também:  Vereador atende comunidade do bairro Padre Lothar por meio do Gabinete Itinerante

De acordo com a assessoria da prefeita, agora a intenção é regularizar a situação financeira dos servidores municipais, além de liberar a renovação do contrato entre a Prefeitura e a Caixa Econômica e assim poder dar andamento ao recolhimento de impostos e taxas do município, além de “limpar” o nome dos servidores prejudicados.

Advertisements

Comentários

*Os comentários aqui publicados são de responsabilidade dos usuários e não representam a opinião do site.