Até o final do mês de março, o município de Alto Taquari, deverá fiscalizar todas as propriedades e armazéns rurais localizados na zona rural para evitar a proliferação da “mosca dos estábulos”. Para realização dos trabalhos foram contratados dois engenheiros, um agrônomo e o outro ambiental. O compromisso foi firmado ontem (20), durante reunião realizada na sede das Promotorias de Justiça da cidade.

Segundo o promotor de Justiça Marcelo Linhares, também ficou acordado, em uma segunda reunião, que a unidade Odebrecht Agroindustrial de Alto Taquari trabalhará em parceria com o município e continuará prestando orientações gratuitas aos pequenos produtores para eliminação dos focos do inseto e fará a doação de inseticidas, caso necessário. “Todas as propriedades deverão ser visitadas. As unidades produtoras que resistirem à fiscalização municipal sofrerão atuação Ministerial”, avisou o promotor de Justiça.

Leia também:  Mortes na BR-163 caem 32% no 1º semestre do ano

Ele explica que, com o início da moagem da cana-de-açúcar, prevista para o começo de abril, a previsão é de que a mosca dos estábulos se prolifere, daí a necessidade da adoção de medidas preventivas. Durante a reunião realizada na sede do MPE, a Companhia Brasileira de Energia Renovável de Alto Taquari (Brenco) informou que já encaminhou pedido de queima profilática à Secretaria de Estado de Meio Ambiente (Sema).

“Nesta segunda-feira, realizamos duas reuniões: a primeira com uma equipe do município e a segunda com profissionais da Odebrecht. O resultado de ambas foi bastante positivo pois, além de fixarmos diretrizes de comunicação, também definimos estratégia de apoio mútuo para enfrentamento do problema”, destacou o promotor de Justiça.

Leia também:  Em agosto, Barra do Garças realiza a 8ª Caravana da Transformação

MOSCA DO ESTÁBULO: A Stomoxys calcitrans, comumente conhecida como “mosca dos estábulos” ou “mosca da vinhaça” é, atualmente, responsável por causar prejuízos de grande impacto econômico nas cadeias produtivas da pecuária bovina e sucroalcooleira em alguns estados do Brasil, dentre eles Mato Grosso, Mato Grosso do Sul, São Paulo, Paraná, Rio de Janeiro e Minas Gerais.

O principal problema que a mosca dos estábulos proporciona aos animais é a irritabilidade, causada pelas picadas nas patas e ventre dos animais. O total de danos que essa mosca pode provocar depende, naturalmente, do grau de infestação nos animais.

A mosca do estábulo se reproduz em dias quentes sobre matéria orgânica em decomposição, tais como esterco úmido misturado na palha da cana-de-açúcar, cascas de arroz e capim, assim como em locais com vinhaça acumulada. Cada fêmea vive cerca de 20 a 30 dias e coloca de 200 a 500 ovos durante seu ciclo de vida. A mosca pode voar até 100 km de distância do seu local de origem.

Leia também:  Período proibitivo para queimadas começa neste sábado em MT
Advertisements

Comentários

*Os comentários aqui publicados são de responsabilidade dos usuários e não representam a opinião do site.