Imagem: Paris
Foto: reprodução

Cerca de 1,5 milhão de turistas deixaram de ir a Paris no ano passado devido à ameaça terrorista, mostra relatório publicado nesta terça-feira (21) pelo Comitê de Turismo da Île-de-France, região onde fica a capital francesa. A informação é da Radio France Internationale (RFI).

Os atentados de 2015 em Paris assustaram os turistas, especialmente os estrangeiros. No ano passado, os hotéis registraram queda total de 9% em suas reservas de visitantes em relação a 2015.

A baixa mais significativa está entre os turistas chineses: quase 270 mil deixaram de visitar Paris – uma diminuição de 21,5%. No entanto, no setor hoteleiro, os japoneses são os principais responsáveis pelos prejuízos: eles fizeram 225 mil reservas a menos em 2016, o que corresponde a uma queda de 41,2%.

Leia também:  Grupo de pessoas são atacadas com serra elétrica e ficam gravemente feridas na Suíça

Entre os visitantes europeus, os russos foram os que mais deixaram de ir à capital francesa. Paris recebeu cerca de 65 mil visitantes da Rússia em 2016, uma diminuição de 27,6%. Depois deles, estão italianos (-26,1%), espanhois (-9,9%) e britânicos (-8,6%).

Monumentos e centros culturais

Os monumentos e centros culturais também sofreram com os atentados. A Torre Montparnasse, o Arco do Triunfo, os museus do Louvre e d’Orsay, além do Castelo de Versalhes e da Disneylândia, registraram quedas importantes no número de visitantes. O único dos grandes centros culturais a registrar aumento foi o Pompidou, que teve alta de 9% na frequência de turistas.

Segundo Comitê de Turismo da Île-de-France, o setor registrou perda total de € 1,3 bilhão em 2016. A instituição reconhece que esperava números ainda piores.

Leia também:  Mais de 30 pessoas podem estar soterradas em escombros de edifício que desabou na Índia

O comitê também destaca aumento de 12,5% no número de turistas que foram a Paris em novembro e dezembro do ano passado, em relação ao mesmo período de 2015. Cerca de 581 mil visitantes foram à capital francesa atraídos pela programação de fim de ano, Natal e Ano-Novo.

Mobilização

Para recuperar o setor em 2017, as autoridades francesas se mobilizam. A presidente da região da Île-de-France, Valérie Pécresse, diz que não poupa esforços para atrair mais turistas este ano, investindo na segurança, na qualidade do acolhimento e em campanhas de informação.

Apesar da ameaça terrorista, a França continua sendo o primeiro destino turístico no mundo. No total, cerca de 83 milhões de turistas estrangeiros visitaram o país no ano passado, ou seja, 2 milhões a menos que o recorde registrado em 2015.

Leia também:  Ministra se demite de cargo após crise no governo de Portugal causado por incêndios
Advertisements

Comentários

*Os comentários aqui publicados são de responsabilidade dos usuários e não representam a opinião do site.