O Ministério Público Eleitoral (MPE) requereu a nulidade dos votos atribuídos aos candidatos da Coligação Juntos Faremos a Cidade que Queremos (PRTB e Rede) e pede ainda a desconstituição de todos os mandatos relativos aos candidatos. Dois vereadores assumiram pela coligação, sendo eles Roni Cardoso (PRTB) com 971 votos e Bilu do Depósito de Areia (PRTB) com 954 votos.

A ação de impugnação é contra toda a chapa, pois segundo o MPE o deferimento da chapa se deu pela formação da chapa por 22 homens e 10 mulheres, o que atendia o percentual mínimo de 30% de candidaturas do sexo feminino, porém o MP alega que duas delas, Dinise Frichs e Edna Magali Ferreira Santana não eram de fato candidatas, pois não buscaram e não tiveram nenhum voto nas eleições. Uma delas ainda é acusada de ter pedido votos para outro candidato via rede social durante a campanha.

Leia também:  Presidente da Câmara busca parceria com instituição para oferecer cursos de qualificação para servidores

De acordo com a defesa da coligação, as alegações do Ministério Público não procedem e não houve fraude na escolha dos candidatos. “Todos os candidatos registrados, colocaram seus nomes a disposição em convenção e com os registros deferidos, receberam as mesmas condições de igualdade de campanha”.

Até o momento, somente o partido foi notificado. Os candidatos ainda estão sendo notificados para apresentar defesa.

Advertisements

Comentários

*Os comentários aqui publicados são de responsabilidade dos usuários e não representam a opinião do site.