Imagem: eunicio oliveira 1024x683
Eunício Oliveira (PMDB-CE) – Foto: reprodução

Com 61 votos, o senador Eunício Oliveira (PMDB-CE) foi eleito nesta quarta-feira (1º) como o novo presidente do Senado e do Congresso Nacional para os próximos dois anos. O senador mato-grossense, José Medeiros (PSD),  foi derrotado na eleição com 10 votos. Outros 10 senadores votaram em branco.

Apoiado pelo Palácio do Planalto, Eunício assume o lugar de Renan Calheiros (PMDB-AL), que passa a ser o líder da bancada do PMDB na Casa.

O senador vitorioso foi acusado de ter recebido R$ 2,1 milhões da Odebrecht em troca da aprovação de uma medida provisória, conforme relato do delator Cláudio Melo Filho à Lava Jato, mas essas acusações não ameaçaram a vitória de Eunício que nega ter recebido qualquer valor.

Leia também:  Debate para aplicação de quase 1 bilhão do orçamento municipal de 2018 começa nesta terça

Pai de quatro filhos, Eunício nasceu em setembro de 1952 em Lavras da Mangabeira, município no Centro-Sul do Ceará, localizado a 400 quilômetros da capital, Fortaleza. O senador é casado com Mônica Paes de Andrade, filha do ex-deputado e ex-presidente do PMDB Paes de Andrade (que morreu aos 88 anos em 2015).
Aliado do presidente Michel Temer, Eunício Oliveira vai controlar um orçamento de R$ 4,2 bilhões por ano.

Considerado um “político habilidoso” pelos colegas, o parlamentar passou as últimas semanas se reunindo com lideranças partidárias em busca de apoio para sua eleição.

Ele prometeu, por exemplo, ao PSDB – 2° maior bancada da Casa (12 senadores) – a presidência da Comissão de Assuntos Econômicos (CAE) e dois assentos na Mesa Diretora: a Primeira-vice-presidência e a Quarta Secretaria.

Leia também:  Primavera do Leste deve ter eleições no dia 19 de novembro

Diante dessas negociações, o PSDB aceitou apoiar Eunício, assim como PP, PSD, PTB, DEM e PSB, entre outros.

Advertisements

Comentários

*Os comentários aqui publicados são de responsabilidade dos usuários e não representam a opinião do site.