Imagem: eunicio oliveira 1024x683
Eunício Oliveira (PMDB-CE) – Foto: reprodução

Com 61 votos, o senador Eunício Oliveira (PMDB-CE) foi eleito nesta quarta-feira (1º) como o novo presidente do Senado e do Congresso Nacional para os próximos dois anos. O senador mato-grossense, José Medeiros (PSD),  foi derrotado na eleição com 10 votos. Outros 10 senadores votaram em branco.

Apoiado pelo Palácio do Planalto, Eunício assume o lugar de Renan Calheiros (PMDB-AL), que passa a ser o líder da bancada do PMDB na Casa.

O senador vitorioso foi acusado de ter recebido R$ 2,1 milhões da Odebrecht em troca da aprovação de uma medida provisória, conforme relato do delator Cláudio Melo Filho à Lava Jato, mas essas acusações não ameaçaram a vitória de Eunício que nega ter recebido qualquer valor.

Leia também:  "Derramo meu sangue por um companheiro" diz deputado após fazer tatuagem com nome de Temer

Pai de quatro filhos, Eunício nasceu em setembro de 1952 em Lavras da Mangabeira, município no Centro-Sul do Ceará, localizado a 400 quilômetros da capital, Fortaleza. O senador é casado com Mônica Paes de Andrade, filha do ex-deputado e ex-presidente do PMDB Paes de Andrade (que morreu aos 88 anos em 2015).
Aliado do presidente Michel Temer, Eunício Oliveira vai controlar um orçamento de R$ 4,2 bilhões por ano.

Considerado um “político habilidoso” pelos colegas, o parlamentar passou as últimas semanas se reunindo com lideranças partidárias em busca de apoio para sua eleição.

Ele prometeu, por exemplo, ao PSDB – 2° maior bancada da Casa (12 senadores) – a presidência da Comissão de Assuntos Econômicos (CAE) e dois assentos na Mesa Diretora: a Primeira-vice-presidência e a Quarta Secretaria.

Leia também:  Parlamentares debatem situação do esgoto em Rondonópolis

Diante dessas negociações, o PSDB aceitou apoiar Eunício, assim como PP, PSD, PTB, DEM e PSB, entre outros.

Advertisements

Comentários

*Os comentários aqui publicados são de responsabilidade dos usuários e não representam a opinião do site.