Uma verdadeira confusão marcou esta segunda-feira (20), quando ocorreria o início do ano letivo para as escolas da rede municipal de ensino.

O que seria o primeiro dia de aula, pois algumas escolas não tiveram aulas, e naquelas onde o ano letivo efetivamente começou, os pais reclamavam da falta de professores e diretores, da falta de funcionários, dizem até que faltou merenda.

Segundo a informação de alguns funcionários da Secretaria municipal de educação, férias prolongadas (de três meses) para alguns servidores do alto escalão da pasta foi a principal causa de todo o imbróglio.

A falta de organização do quadro de professores, merendeiras e até do serviço de limpeza foi prejudicado por causa das férias prolongadas de alguns. Para minimizar o problema, a bomba acabou explodindo nas mãos dos servidores lotados nas escolas, que tiveram funcionamento parcial ou pleno. Eles passaram o domingo ligando para os funcionários contratados avisando que estes deveriam entregar a documentação exigida até o meio-deia desta terça-feira (21).

Leia também:  'Diga não a coxinha de R$ 9 (...) Aí eu quebro'

 

Advertisements

Comentários

*Os comentários aqui publicados são de responsabilidade dos usuários e não representam a opinião do site.