Imagem: 748A2386
1ª Célula de Inteligência Integrada de Fronteira – Foto: PJC

Mato Grosso inaugurou primeira Célula de Inteligência Integrada de Fronteira, em Cáceres (a 220 km de Cuiabá). O objetivo é abrigar em um único espaço operadores de inteligência das forças de segurança estadual e federal, para o combate ao crime.

Profissionais da Polícia Militar, Polícia Judiciária Civil, Sistema Prisional, Polícia Federal e Polícia Rodoviária Federal vão compartilhar dados, para que juntos, possam desencadear operações para o desmonte das organizações criminosas. A célula faz parte recém-inaugurada Delegacia de Fronteira (Defron).

A integração não será apenas entre as forças de segurança, mas também com outros estados com fronteiras nacionais, como é o caso de Mato Grosso do Sul e Paraná.

Representantes de segurança pública dos dois estados firmaram compromisso com Mato Grosso para compartilhar banco de dados e promover o fluxo de informação entre os setores de inteligência.

Leia também:  Motorista bate em motocicleta e foge sem prestar socorro as vítimas

“Estamos vivendo um momento importante. Com esta integração, a segurança pública sai fortalecida para enfrentamento à criminalidade organizada. Nosso foco será o tráfico de drogas”, disse o secretário adjunto de Inteligência da Sesp, Gustavo Garcia.

O coordenador geral de Inteligência da Secretaria Nacional de Segurança Pública (Senasp), Romano Costa, atribuiu ao estado de Mato Grosso, o pioneirismo e visão estratégica para atuação na fronteira.

“É importante aprimorar os mecanismos de combate as organizações criminosas, e aí entra o tráfico de droga e demais crimes que utilizam a área de fronteira para entrar no país. Os três Estados, Mato Grosso, Mato Grosso do Sul e Paraná, iniciaram o trabalho, e neste mesmo caminho seguirão outros estados”, ressaltou.

Leia também:  Trabalhador é rendido e roubado no Conjunto São José I

Com forte atuação na fronteira de Mato Grosso com a Bolívia, a delegada titular da Defron, Cinthia Gomes da Rocha Cupido, disse que o momento é propício para este trabalho que une forças com entidades estaduais e federais.

“Estamos em um momento em que a fronteira está em evidência, principalmente por causa das organizações criminosas. A droga que sai da Bolívia, vai para os demais estados do Brasil e para o mundo inteiro”, enfatizou.

Participaram da solenidade de inauguração da Célula de Fronteira representantes da Secretaria de Estado de Segurança Pública (Sesp), do Ministério da Justiça, do Judiciário, Ministério Público, Exército Brasileiro, 6º Comando Regional e Delegacia Regional, Grupo Especial de Fronteira (Gefron) e Centro Integrado de Operações Aéreas (Ciopaer).

Policiamento na fronteira

Há 14 anos, o Gefron, vinculado à Secretaria de Estado de Segurança Pública (Sesp-MT), desempenha as atividades de combate a crimes como tráfico de drogas, contrabando e descaminho de bens e valores, evasão de divisas e roubos de veículos ao longo dos 983 quilômetros de fronteira seca e alagada que separam o Brasil e a Bolívia

Leia também:  Em MT, seis pessoas morrem em dois acidentes na BR 163 no norte do estado

Os policiais realizam patrulhamentos pelas rodovias, estradas vicinais, operações, barreiras fixas e volantes.

São três postos de fiscalização: Matão (no município de Pontes e Lacerda), Vila Cardoso (em Porto Esperidião), Avião Caído (em Cáceres), além da base do grupamento, em Porto Esperidião.

Os policiais também atuam em parceria nos seis postos fixos do Instituto de Defesa Agropecuária de Mato Grosso (Indea-MT) do Corixa, Corixinha, Las Petas, Fortuna, Ponta do Aterro e Marfil.

Advertisements

Comentários

*Os comentários aqui publicados são de responsabilidade dos usuários e não representam a opinião do site.