O Ministério Público do Estado de Mato Grosso ingressou na Justiça com uma ação pedindo que os policiais que balearam dois assaltantes durante uma troca de tiros em Cuiabá em outubro do ano passado paguem indenizações para os baleados. Segundo o Boletim de Ocorrências, os suspeitos invadiram uma loja de veículos, renderam clientes e funcionários, pegaram vários pertences e ainda fugiram na caminhonete de um dos reféns.

Logo depois os policiais seguiram os assaltantes e houve troca de tiros. Dois dos suspeitos foram atingidos na perna e precisaram ser atendidos no Hospital.

Os cinco policiais estão respondendo por abuso de autoridade e o MP pede o pagamento de um salário mínimo (880,00) a cada um dos militares envolvidos na ocorrência ou que os PMs realizem serviços comunitários todos os sábados no período de dois meses.

Leia também:  Trio do tráfico é detido em operação no estado

Um dos policiais envolvido fez um desabafo nas redes sociais.

Íntegra do post do cabo:

 Imaginem só, o que nos PMs sofremos por várias inversões de valores, uma ocorrência padrão, roubo na Borges veículos, elementos invadiram a loja armados e truculentos com as vítimas, estavam os proprietários, clientes e funcionários da loja, foram subtraído vários pertences como anéis, celulares, relógios, documentos, é uma Hilux branca do proprietário. A minha Guarnição escutou no rádio uma Viatura do Cb. Toninho, informando que estava em acompanhamento de uma Hilux branca roubada, e os bandidos bateram a caminhonete e trocou tiro com a guarnição do Cb. Toninho, onde dois dos 4 elementos foram baleados, um na perna, e outro no pé, e uns dos 4 evadiu em direção a Av. do CPA, foi quando a minha Guarnição estava próximo aí eu com a minha astúcia e visão aguçada, consegui ver o outro foragido, prendemos e recuperamos um revólver calibre 38, e logo depois encaminhamos os 3 detidos e um foragido, recuperamos todos os pertences das 7 vítimas, só ficou com o prejuízo foi o dono, pois sua caminhonete os bandidos bateram.

 Aí fui hoje em uma audiência no Jecrim, aí vi uma coisa que nunca tinha visto em 14 anos de PM, O Ministério público ordenou que eu e as outras Guarnições, temos que pagar um salário mínimo para os bandidos, porque eles foram torturados, que a PM agiu com truculência, ainda o bandido que eu consegui pegar, deu nome errado, depois lembrou seu nome no Ministério público, e o bandido ainda tem credibilidade perante a sociedade? O dono da loja levou um prejuízo de quase 20 mil reais para arrumar a caminhonete, todos eles foram torturados psicologicamente, chamados de vagabundos e em todo o momento falavam que iam matar, depois da ocorrência o Ministério Público ordena que os PMs que estavam na ação, indenizam os bandidos? País de inversão de valores.

Como PMs trabalham desse jeito, o que fazer?

Advertisements

Comentários

*Os comentários aqui publicados são de responsabilidade dos usuários e não representam a opinião do site.