Imagem: estradas ruins MT
Uma das estradas de difícil acesso – Foto: reprodução

Com as fortes chuvas dos últimos dias a Defesa Civil do Estado de Mato Grosso enviou uma equipe para averiguar a situação nos municípios mais afetados na região do Araguaia. Eles devem ficar em média duas semanas atuando na região.

Cerca de 41 municípios no estado sofrem com alagamentos e atoleiros, muitos já procuraram a Secretaria Adjunta de Proteção e Defesa Civil do estado, tanto por ofício, quanto por telefone para informar a situação crítica.

De acordo com o gerente de articulação e comando da Defesa Civil, sargento Wagner Soares, “A intenção da Defesa Civil estadual é realizar um decreto regional, pegando toda a região do Araguaia, mas alguns municípios podem ter decretado situação de emergência em âmbito municipal, mas nós não fomos informados ainda, exceto o caso de Campo Novo do Parecis, que foi decretado, homologado pelo estado e foi reconhecido em âmbito federal, fora ele nem um outro, todos os 41 munícipios acionaram a Defesa Civil e informaram que estão passando por problemas”.

Leia também:  Inscrições para curso gratuito preparatório para o Enem terminam nesta segunda

Com todo esse problema, cerca de 500.377 mil pessoas são afetadas nas regiões de: Água, Boa, Alto Araguaia, Alto da Boa Vista, Alto Garças, Alto Taquari, Araguaiana, Araguainha, Barra do Garças, Bom Jesus do Araguaia, Campinápolis, Campo Novo do Parecis, Canabrava do Norte, Canarana, Chapada dos Guimarães, Cocalinho, Colniza, Confresa, Gaúcha do Norte, General Carneiro, Luciara, Nova Nazaré, Nova Xavantina, Novo Santo Antônio, Novo São Joaquim, Ponte Branca, Pontal do Araguaia, Porto Alegre do Norte, Querência, Ribeirãozinho, Ribeirão Cascalheira, Rio Branco, , Salto do Céu, , Santo Antônio do Leverger, São Félix do Araguaia, Sapezal, Serra Nova Dourada, Torixoréu, Vila Rica. Já Santa Terezinha, Santa Cruz do Xingu e São José do Xingu são municípios que se encontram ilhados, já não se tem combustível e nem alimentação, por conta dos atoleiros, nada passa pelas estradas.

Leia também:  Termo de Cooperação para implantar Núcleo de Mediação Escolar será assinado nesta segunda

Apesar da situação crítica, o secretário-adjunto de Proteção e Defesa Civil, tenente coronel Abadio José da Cunha Junior, ressalta que não há motivos para pânico, mas que o Mato Grosso, está sob estado de alerta até o final deste mês de fevereiro para lugares com fortes chuvas, ou com chuvas que ultrapassem à 100 milímetros, podendo gerar um impacto nas vidas das pessoas que residem tanto em áreas urbanas, quanto em áreas rurais.

Imagem: Municipios em situações críticas
Lista dos municípios que pediram ajuda a Defesa Civil
Advertisements

Comentários

*Os comentários aqui publicados são de responsabilidade dos usuários e não representam a opinião do site.