Imagem: GEFRONDez mandados de prisão cumpridos, 64 pessoas conduzidas para a delegacia e 145,320 quilos de drogas – sendo 14,320 pasta base de cocaína e 131 quilos de cloridrato-  são os números da primeira operação do Grupo Especial de Segurança na Fronteira (Gefron), em 2017. Além disso, os 31 dias da ação policial apreendeu 365 munições, doze armas de fogo, 32 veículos recuperados e R$ 16.770 mil.

A operação se concentrou na BR-070 com abordagens a pessoas e veículos na principal via de entrada do Brasil para a Bolívia. O comandante do Gefron, tenente-coronel PM Joanildo Assis, explicou que a rodovia foi eleita para receber a ação porque possui um grande fluxo de veículos e é muito utilizada para o deslocamento de veículos roubados e furtados no Brasil para Bolívia.

Leia também:  Liminar suspende leis que dispensavam licenciamento para pequenas pisciculturas

“A rodovia possui uma estrutura ideal para trafegar de maneira rápida e segura, por isso, torna-se mais viável do que se arriscar em uma cabriteira, que são rodovias não oficiais e que nesta época não está em perfeitas condições, em razão das chuvas”, disse o comandante.

O paulistano, Marcos Antônio Regatiri estava viajando para um sítio e teve o seu veículo parado pelos policiais. “Aqui é uma região de fronteira e a polícia tem que verificar tudo mesmo”, disse. Da mesma forma, o pecuarista, Wallace Antunes Gonçalves, parabenizou o trabalho. “O Gefron é uma polícia especializada que proporciona mais segurança, não só aos produtores, como também para os moradores das cidades vizinhas”, destacou.

Cães farejadores

O faro aguçado dos cães do Canil Integrado de Fronteira (CanilFron) foi outra ferramenta utilizada nos trabalhos durante a operação. Ao todo, 10 animais participaram da ação. Foram empregados cães de faro de entorpecentes e de guarda.

Leia também:  Com mais de 250 mil inscritos, Seduc MT altera data das provas de concurso

Segundo a investigadora de polícia e integrante do canil, Vanessa Miranda de Paula, os cães de faro de entorpecentes atuaram nas revistas veiculares e bagagens. “Os policiais faziam uma triagem prévia do que estava mais suspeito, para, em seguida, os cães fazerem a revista com mais segurança”, disse.

Os animais também se destacaram nas fiscalizações em automóveis coletivos. “Nos automóveis coletivos é onde mostramos maior eficiência, porque a nossa revista é muito mais ágil. Então, as pessoas acabam gostando mais da nossa abordagem”, explicou a investigadora.

Novos policiaisDescrição: https://ci6.googleusercontent.com/proxy/RnNZfQn2o2xpggJQqefCOervMbPIci5mujDPJnvl43kv6Rtxjyh5gHN_JKVzeU-aaGz3pePFgxfoAAtZJZNx8mveVTc-11j98EfuAJVcumUenA=s0-d-e1-ft#https://ssl.gstatic.com/ui/v1/icons/mail/images/cleardot.gifA operação contou também com a participação de 39 novos integrantes do Gefron, que concluíram o Curso de Policiamento de Fronteira (Cpfron), realizado em novembro do ano passado.

Leia também:  Não se esqueça | Horário de verão começa neste domingo, em 10 estados brasileiros

Após formados, os policiais estão participando de um estágio operacional de 60 dias. Segundo o comandante, a rodovia possuí características que contribuem para aprimorar o conhecimento dos policiais adquiridos durante o curso.

Durante os 31 dias os novos integrantes se concentraram nas técnicas de barreiras, checagem, abordagem e patrulhamento. O comandante do Gefron disse que outras operações serão realizadas ao longo deste ano. “No nosso calendário operacional teremos algumas outras operações volantes, totalizando mais de 50 no ano. Além de operações de apoio e outras ações que irão acontecer, principalmente agora com a criação da Delegacia de Fronteira”, disse.

Advertisements

Comentários

*Os comentários aqui publicados são de responsabilidade dos usuários e não representam a opinião do site.