23 de novembro de 2020
Mais
    Capa Destaques Alerta para riscos do contato com frutas cítricas antes de exposição ao...
    SAÚDE

    Alerta para riscos do contato com frutas cítricas antes de exposição ao sol

    Imagem: Frutas Cítricas
    Foto: Ilustrativa

    Propagada na cultura popular, a crença de que expor a pele com limão ao sol pode queimar e ocasionar manchas tem explicação científica. Não é apenas um boato, isso porque o sumo ácido da fruta em contato com os raios ultravioleta causa uma reação alérgica, semelhante a uma queimadura, que, longe de ser um mito, deve ser tratada imediatamente para evitar agravamento do quadro.

    Em entrevista ao AGORA MT o dermatologista, Hélio Cerávolo, tirou algumas dúvidas referente as manchas e queimaduras ocasionados pelo contato com frutas cítricas e até plantas, como figueira, erva de São João e picão que podem ser responsáveis por uma pequena mancha até uma queimadura de segundo grau.

    Para muitos o uso de frutas cítricas em receitas caseiras como máscaras faciais, sucos, doces resultam em efeitos contrários. “O limão é um inimigo do sol, as vezes apenas o fato de tocar nele e passar em outra pessoa, já pode gerar uma mancha ou uma queimadura de segundo grau”, explica o dermatologista.

    O contato com algumas frutas cítricas queima a pele e é um quadro conhecido como Fitofotodermatose. “Algumas frutas e algumas plantas ela possuem uma substância que na presença do sol mudam a estrutura e passam a ser nocivas para a pele”, aponta Cerávolo.

    As frutas como caju, manga, limão, laranja, lima da pérsia, tangerina e figo, podem dar manchas ou uma queimadura, que segundo o Doutor, esse caso ultimamente tem sido mais frequente em crianças.

    Dr Hélio de C. Neto dermatológista - Foto: Varlei Cordova/AGORAMT
    Dr Hélio de C. Neto dermatológista – Foto: Varlei Cordova/AGORAMT

    “Às vezes os pais chegam na clínica com a criança para ser atendida porque eles tiveram contato com a fruta e não lavou as mãos adequadamente e foi pegar a criança no colo, ou passou a mão no rosto. Já atendi criança com manchas na barriga por causa da falta de cuidado dos responsáveis”, discorre.

    Hidratantes, shampoo e outros que possuem o cheiro da fruta não causam manchas e nem queimaduras, esses produtos são sintéticos, podem ficar tranquilos.

    Permanecer debaixo do guarda-sol traz uma noção errada de segurança. A radiação tem a capacidade de rebater na areia ou no cimento e voltar ao corpo, provocando inflamações nas áreas que estão com gotículas de limão.

    Esse processo afeta células da pele conhecidas como melanócitos. Instigadas, elas produzem mais e mais melanina, o pigmento que determina a tonalidade da cútis. É dessa presença exagerada que surge a mancha.

    Invasão
    Se a quantidade de suco de limão for muito grande, ela pode alcançar camadas profundas, como a derme, e causar lesões mais sérias. Nesses casos, é comum a formação de bolhas e a sensação de coceira. Depende do grau.

    Então, o que fazer?

    Prevenir sempre
    Em ambientes abertos, evite o consumo de alimentos e bebidas que tenham limão. Se for utilizá-lo, depois lave rigorosamente mãos e braços com água e sabão.

    Alívio rápido
    A mancha costuma sumir aos poucos dentro de algumas semanas. Se ela estiver incomodando, faça compressas geladas com água ou chá de camomila.

    Cuidado em dobro
    Capriche ainda mais na aplicação de filtro solar na área lesionada. Se ela está desguarnecida, a alteração cutânea se intensifica e pode se tornar irreversível.

    Ajuda profissional
    Nas situações graves, quando há muita dor e bolhas, procure um serviço de emergência próximo. Não recorra a pomadas sem a orientação do médico.

    Outros itens que também mancham a pele

    • Laranja
    • Mexerica
    • Caju
    • Morango
    • Figo
    • Cenoura
    • Aipo
    • Salsinha
    • Coentro
    • Medicações orais, como alguns anti-inflamatórios

    Falsa proteção

    Todos acham que o protetor solar em fator alto possa dar um melhor resultado, segundo o Dermatologista Cerávolo as coisas não funcionam assim. “Se for para fazer sem orientação não muda muito, não é uma mudança tão importante, o fator 60 não protege duas vezes mais que o fator 30″, aponta.

    ÚLTIMAS NOTÍCIAS