Toda a polêmica em torno da liberdade do goleiro Bruno vai se repetir nos EUA em outubro, quando deve terminar a pena de O.J. Simpson. Com uma diferença importante: por lá, produtores de reality shows já estariam se preparando para disputar o contrato de um programa com o ator e ex-astro da NFL.

Segundo o TMZ, o formato mais provável do programa seria um documentário ou uma longa entrevista. O site afirma ter entrado em contato com vários produtores, mas nenhum quis ser citado na matéria.

Imagem: Simpson pode ser solto ainda este ano e ganhar programa na TV
Reprodução

A história do assassinato da ex-mulher de O.J., Nicole Brown Simpson, e do garçom Ronald Goldman, em 12 de junho de 1994 — crime do qual o astro do futebol americano se tornou o principal suspeito — foi tema do documentário vencedor do Oscar este ano, “O.J.: made in America”, de Ezra Edelman, e também da minissérie “American crime story: The people v. O.J. Simpson”, que levou saiu do Emmy com nove estatuetas.

Leia também:  Resumo de novelas desta segunda-feira (10)

Num dos julgamentos mais famosos da história, Simpson foi inocentado do crime. As famílias das vítimas, no entanto, entraram anos depois com um processo civil no qual ele foi condenado a pagar uma indenização de US$ 33,5 milhões. Simpson acabou sendo preso em 2007, acusado de roubar itens esportivos de um cassino em Las Vegas. Ele foi condenado a 33 anos, com condicional em nove, por roubo a mão armada e sequestro.

Antes do sucesso da minissérie do documentário do ano passado, a Fox já havia tentado fazer um programa sobre o caso — mas com conteúdo bem mais explosivo. Um especial de TV foi produzido em cima do livro “If I dit it”, no qual Simpson citava de forma hipotética como teriam sido os crimes “se ele os tivesse cometido”. O ex-jogador nega ter participado da obra, escrito por Pablo Fenjves, e nem o livro nem a série nunca forma lançados.

Leia também:  Resumo de novelas desta sexta-feira (28)
Advertisements

Comentários

*Os comentários aqui publicados são de responsabilidade dos usuários e não representam a opinião do site.