Imagem: menores
Menores apreendidos – Foto: Vilmar Kaiser / AGORA MT

Após ser alvo do quarto assalto em poucas semanas, só que nesta última vez a família ficou sob a mira das armas dos criminosos. Um comerciante, morador do bairro Poncho Verde, em Primavera do Leste, fez um desabafo no início da noite desta terça-feira (14) ao comparecer para fazer o reconhecimento de dois menores, apreendidos pela Polícia Militar e suspeitos de terem cometido o crime: “Não aguento mais. Estou pensando em desistir de trabalhar e até mesmo mudar de cidade”.

Ele que não quis se identificar, por medo de represálias, conta que a polícia até dá a atenção, porém o sistema judicial do país não contribui em nada. Os menores apreendidos praticamente nem ficariam presos, situação agravada pela falta de celas para a detenção dos menores de idade, além do que a própria cadeia pública municipal permanece parcialmente interditada pela falta de vagas.

Leia também:  Força Tática age rápido e evita assalto ao Pátio Rondon

O CRIME

Sérgio relata que era por volta das 15h da segunda-feira quando dois rapazes chegaram até a distribuidora de gás e água que possui, pedindo para comprar um galão de água. “Eles me entregaram o galão vazio e eu observei que estava vencido, pois a validade não pode ser superior a dois anos. Quando expliquei isso a eles, logo sacaram um revólver e o outro me rendeu com uma faca”, relata.

Em seguida, segundo a vítima, eles obrigaram o comerciante, a esposa dele e a filha de 12 anos a ficarem dentro do escritório, enquanto pediam a todo instante o dinheiro. “Eu então peguei todo o dinheiro que tinha e entreguei a eles, sendo que a toda hora ameaçavam minha mulher e minha filha”, narrou.

Leia também:  Dupla é presa em flagrante ao invadir casa e fazer família de refém no Santa Cruz

A DETENÇÃO

Imagem: Roubo comerciante
Os menores foram apreendidos – Foto: Vilmar Kaiser / AGORA MT

Em seguida os dois elementos fugiram levando cerca de R$ 2,8 mil e ele então comunicou a polícia, que iniciou as rondas. Na tarde da terça-feira o serviço reservado da Polícia Militar (PM2) identificou que os dois menores poderiam ser os autores do roubo e comunicou ao grupo CAR (Comando de Ação Rápida) que os localizou, mas eles fugiram.

Os policiais saíram em perseguição e chegaram a casa de uma terceira pessoa, onde eles estariam escondidos. “Nós adentramos a residência e localizamos um dos menores, sendo que o proprietário da casa logo foi identificado por nós como sendo o autor de um outro roubo, cometido no fim de semana em uma casa notura”, explicou o sargento PM Ribas.

Leia também:  Agentes descobrem buraco feito em parede de cadeia em Colniza e presos fazem motim

Os três então foram conduzidos para a Delegacia de Polícia Civil onde iriam prestar depoimento e ficar à disposição da delegada Ana Maria Machado.

Advertisements

Comentários

*Os comentários aqui publicados são de responsabilidade dos usuários e não representam a opinião do site.