Imagem: Cadeia Feminina
Foto: assessoria

Cento e trinta e duas mulheres que cumprem pena na Cadeia Pública de Rondonópolis (210 km de Cuiabá) participaram, entre os dias 9 e 13 de março, de uma roda de reflexão chamada “Em narro meu corpo, minha história: narrativas de mulheres em privação de liberdade”, para marcar o “Dia Internacional da Mulher”, celebrado dia 8 de março.

O evento, proposto pelo promotor de Justiça Reinaldo Antônio Vessani Filho, que atua na área de Execução penal, teve como objetivo construir um espaço de reflexão e confraternização, para que as recuperandas pudessem contar suas histórias, angústias, dores e percepções sobre o “ser mulher”, potencializando o aprendizado e o fortalecimento de vínculos. Deste modo, a escolha por roda de conversa visou a troca de experiências sobre o tema.

Leia também:  Justiça Comunitária realiza mutirão no próximo dia 26

O modelo de intervenção, por meio de grupo focal, foi a ferramenta utilizada pelas profissionais Pâmella Bertholdi, psicóloga da Projus de Rondonópolis, Priscila Domiciano e Adria Maila, psicóloga e assistente social da Cadeia Feminina e as acadêmicas Amanda Santana, Camila dos Santos de Pinho, Bruna Padilha e Thalita Santos, dos cursos de Psicologia e Enfermagem da UFMT.

O segundo momento do evento foi dedicado a confecção de fanzines, um material artesanal que faz jus a revistas publicitárias, por meio do qual a pessoa divulga suas ideias e opiniões. A intenção é que após a confecção o material circule em exposições em espaços públicos, como as Promotorias de Justiça de Rondonópolis, Fórum, Câmara Municipal, Campus da UFMT de Rondonópolis e outras entidades.

Leia também:  Conhecimento e solidariedade juntos no 1º Fórum Jurídico da ACIR

 

 

Advertisements

Comentários

*Os comentários aqui publicados são de responsabilidade dos usuários e não representam a opinião do site.