Alunos da Fundação Getúlio Vargas (FGV) denunciaram professores de economia e administração por declarações racistas e machistas durante as aulas. Segundo o Diretório Acadêmico, uma comissão de ética da coordenadoria da faculdade foi aberta para apurar as denúncias e definir punição para os docentes.

Em um grupo do Facebook exclusivo para alunos da FGV, uma aluna relatou que um professor declarou que “mulher só faz o trabalho quando enche ela de porrada. Não tem que tratar mulher com beijo e mimimi! Tem que tratar com tapa, tem que mostrar que quem manda é o homem”.

O texto, postado em 8 de março, Dia Internacional da Mulher, termina com a aluna dizendo que as palavras foram “proferidas a risos por um professor da EAESP [Escola de Administração de Empresas] Feliz Dia das Mulheres!”

Leia também:  Uma das vítimas baleada dentro de escola fica paraplégica
Imagem: professores agem com racismo aos alunos
Foto: Reprodução/Facebook

Na sequência, outra aluna comenta que a GV “teve expressões assim” desde a época em que ela estudava na universidade, em 2009. Ela comemora a exposição de situações semelhantes para que os casos sejam apurados.

“Parabéns ao DA [diretório acadêmico] e aos coletivos por abrirem espaço para exposição, expressão e cobrarem as medidas cabíveis. Isso é que faz a diferença. Na minha época, quando houve caso semelhante, tudo o que me ofereceram foi ‘trocar de sala’ para não ouvir mais os comentários. Anos depois, o próprio me procurou espontaneamente para pedir desculpas por ter sido ‘muito rígido comigo'”. O comentário é acompanhado por alunos indignados chamando o ocorrido de “nojento”.

Leia também:  Quadrilha explode agência bancária e trocam tiros com a polícia no Ceará
Advertisements

Comentários

*Os comentários aqui publicados são de responsabilidade dos usuários e não representam a opinião do site.