08 de maio de 2021
Mais
    Capa Bastidores Deputado do PMDB insinua que mensalinho era para atender eleitores
    TEM RAZÃO?

    Deputado do PMDB insinua que mensalinho era para atender eleitores

    Em Rondonópolis vereadores também alegaram que VI era para assistencialismo

    E a história se repete. O deputado estadual do Partido do Movimento Democrático Brasileiro (PMDB) Romualdo Júnior, deixou transparecer em entrevista à Rádio Capital FM, na manhã desta quarta-feira (05) que o recém denunciado, pelo ex-deputado e presidente da Assembleia Legislativa de Mato Grosso, José Riva, não era um “mensalinho”, mas sim uma forma da casa ajudar os parlamentares a fazer assistencialismo em suas bases no interior do estado.

    “Sai da AL em 2000 para ser prefeito da minha cidade e voltei em 2010. Desconheço o mensalinho. A verba parlamentar é insuficiente para o exercício do mandato parlamentar e a AL sempre ajudou”, afirmou o parlamentar.

    Os recursos seriam utilizados para compra de caixões, bancar tratamentos médicos, transporte de pessoas de baixa renda e outras ações de cunho assistencialista. Para Romoaldo, esse caráter social tira qualquer característica de “mensalinho” ou “merenda” das verbas recebidas pelos parlamentares.

    Em síntese a declaração do parlamentar do PMDB, deixa no “ar” a impressão que a culpa do esquema é do eleitor, que vive a pedir favores aos parlamentares.

    EM TEMPO

    No auge da polêmica da Verba Indenizatória (VI) da Câmara Municipal de Rondonópolis, alguns vereadores se utilizaram do mesmo argumento para justificar a existência da VI.

    Será que os deputados e vereadores não estariam certos?