11 de agosto de 2020
Mais
    Capa Notícias Brasil Forte ventania derruba 18 torres de energia em Mato Grosso do Sul

    Forte ventania derruba 18 torres de energia em Mato Grosso do Sul

    Torre de transmissão da Eletrosul caiu com a tempestade - Foto: PRF/Divulgação
    Torre de transmissão da Eletrosul caiu com a tempestade – Foto: PRF/Divulgação

    Os ventos registrados durante a tempestade que derrubaram 18 torres de transmissão de energia, na quarta-feira (17), em Mato Grosso do Sul, passaram dos 118 quilômetros por hora, segundo a meteorologia. Quatro estruturas caíram sobre a pista da BR-262, provocando, no momento do incidente, a interrupção total do trânsito entre os municípios de Água Clara e Três Lagoas.

    O meteorologista Natálio Abrão explica o que causou a tempestade. “Estamos com variação muito forte de temperatura aqui no estado e normalmente embaixo das nuvens de trovoadas nós temos diferença de temperatura entre o chão e o ar. O ar quente sobe por fora, gera uma diferença de temperatura dentro da nuvem e desaba com uma força muito grande em direção ao solo”.

    O meteorologista conclui: “Então o ar quente por fora e o ar frio por dentro gera o que nós chamamos de tempestade ou tornados. Se afirmar que foi tornado nós temos que ter uma característica visual, temos que enxergar ou fotografar o fenômeno. Com relação aos ventos, essa diferença de temperatura, pela análise das imagens que nós temos o vento ultrapassou os 118 quilômetros por hora durante três minutos”.

    Torre de transmissão da Eletrosul caiu com a tempestade e bloqueou o transito -Torre de transmissão da Eletrosul caiu com a tempestade - Foto: PRF/Divulgação
    Torre de transmissão da Eletrosul caiu com a tempestade e bloqueou o transito -Torre de transmissão da Eletrosul caiu com a tempestade – Foto: PRF/Divulgação

    O estrago ocorrido no leste do estado pode se repetir em outras regiões. “Os ventos de rajadas são altamente destrutivos a partir de 60 quilômetros por hora e a partir de 75 quilômetros ele atinge as bases estruturais. Ele pode destruir casa, arrancar árvore. No caso alí, as torres foram forçadas pelo cabeamento, uma forçou a derrubada da outra. Agora é o período que essas varições podem ocorrer em qualquer parte do país” afirma Abrão.

    ÚLTIMAS NOTÍCIAS