Enchentes no Pernambuco - Foto: Camila Torres/ TV Globo
Enchentes no Pernambuco – Foto: Camila Torres/ TV Globo

Dois dias depois das fortes chuvas que castigaram o interior de Pernambuco, começaram a aparecer, nesta terça-feira (30), os estragos causados pelas enchentes. A água dos rios das regiões baixou e ruas foram tomadas por lama e entulhos. A situação mais complicada foi registrada em Barreiros e Rio Formoso, na Zona da Mata Sul.

Ao todo, Pernambuco tem 15 cidades em estado de calamidade pública.
As chuvas também ocasionaram duas mortes em Lagoa dos Gatos, e duas pessoas estão desaparecidas em Caruaru. Na cidade, no Agreste, uma criança morreu ao cair em um açude. De acordo com o governo, há 16 sistemas de abastamento de água paralisados, atingindo 2,2 milhões de pernambucanos.

Leia também:  Carros partem ao meio após acidente em Juiz de fora e 6 pessoas morrem
Faltaram verbas para finalizar as obras de quatro barragens - Foto: Camila Torres/ TV Globo
Faltaram verbas para finalizar as obras de quatro barragens – Foto: Camila Torres/ TV Globo

De acordo com a Coordenadoria de Defesa Civil de Pernambuco (Codecipe), são 44.801 moradores ao todo sem habitação: 42.145 desalojados, que deixaram as residências, e 2.656 desabrigados, que perderam as casas. Até a segunda de manhã, o número de pessoas afetadas pelas enchentes era de cerca de 30 mil.

Apenas em Barreiros, na Mata Sul, 17 mil pessoas ainda estão fora das casas, por causa da enchente. O município fica localizado às margens dos Rios Una e Carimã. O primeiro, na terça-feira, estava a um metro do nível de transbordamento.

Mais de 40 mil pessoas estão sem moradia - Foto: Camila Torres/ TV Globo
Mais de 40 mil pessoas estão sem moradia – Foto: Camila Torres/ TV Globo

Para ajudar as famílias que perderam praticamente tudo nas enchentes, diversas instituições e entidades realizam arrecadação de alimentos não perecíveis e objetos de higiene pessoal.

Leia também:  Casa da Moeda diz que produção de passaportes será normalizada em cinco semanas

No Nordeste, as chuvas ocorrem por causa de um fluxo de vento que vem do oceano carregado de ar úmido, formando nuvens carregadas na costa e na Zona da Mata. De acordo com o meteorologista Celso Oliveira, da Somar Meteorologia, trata-se de um sistema chamado onda de leste, comum nesta região no outono e inverno.

Advertisements

Comentários

*Os comentários aqui publicados são de responsabilidade dos usuários e não representam a opinião do site.