Os 72 mil servidores estaduais – ativos e aposentados – devem ficar sem reajuste este ano. “Por enquanto, o reajuste é zero”, afirmou o secretário de Estado de Administração, Carlos Alberto Assis, na tarde desta quarta-feira (31), último dia para a negociação salarial, uma vez que a data-base do funcionalismo público estadual é maio.

Assis explicou começou a maratona de reuniões com as 47 categorias de servidores, mas que não tem como propor aumento, porque o governo não tem receita suficiente para custear uma folha reajustada – hoje, o Estado gasta R$ 450 milhões por mês com pessoal.

“Para a nossa surpresa os representantes das categorias estão sendo compreensivos. Nossa prioridade é não atrasar os salários”, ressalto, dizendo que o pagamento de maio será depositado amanhã, 1º de junho.

Leia também:  PM e mais cinco pessoas são presas em flagrante tentando roubar banco

O secretário disse ainda que se houver algum evento que injete recursos nos cofres estaduais, o governo voltará a negociar com as categorias. “Mas, essa possibilidade é remota”, deixou claro.

O titular da SAD (Secretaria de Estado de Administração) citou as mudanças na Lei Kandir, que dispõe sobre a distribuição do ICMS (Imposto sobre a Circulação de Mercadorias e Serviços) para Estados e municípios, ainda em discussão e a negociação sobre a compra do gás natural que passa por Mato Grosso do Sul como formas de melhor a arrecadação. Mas, as duas alternativas ainda estão sendo debatidas com governo federal e outros Estados.

Advertisements

Comentários

*Os comentários aqui publicados são de responsabilidade dos usuários e não representam a opinião do site.