Polícia Civil prendeu nesta quarta-feira (3) Julio Cezar Faria, suspeito de dopar as vítimas que conhecia em um aplicativo de relacionamento para roubar os pertences, em Goiânia. Ele estava foragido depois que dopou agentes e fugiu da cadeia de Aruanã, no noroeste do estado. O homem foi preso na casa de um cantor sertanejo que, segundo as investigações, estava sendo vítima de um golpe por parte do suspeito.

Ele vai ser indiciado por estelionato, falsidade ideológica, uso de documentos falsos e roubo - Foto: Divulgação/Polícia Civil
Ele vai ser indiciado por estelionato, falsidade ideológica, uso de documentos falsos e roubo – Foto: Divulgação/Polícia Civil

A delegada responsável pelo caso, Madga D’avila Candido de Souza, explicou que, até o momento, dois homens foram vítimas do crime. No primeiro caso, o suspeito usou o nome do ex-namorado e levou um homem a um bar, onde o dopou.
Ele colocou a vítima no carro, mas acabou se envolvendo em um acidente na rodovia. O suspeito então fugiu levando o celular, carteira e documentos do homem. Já a vítima só acordou no dia seguinte, em um hospital de Morrinhos.

A segunda vítima foi dopada em um motel. Ela foi abandonada em um posto de combustível, desorientada, e teve o carro, documentos e cheques roubados.
“Depois de um trabalho de investigação, conseguimos prendê-lo na casa de um sertanejo em início de carreira, no Alto da Glória, em Goiânia. Ele disse que era empresário e tinha muita influência política, inclusive dentro do governo, podendo melhorar a carreira do cantor”, disse a delegada.

Os dois se conheciam há cerca de dois meses, mas Julio estava dormindo há 15 dias na casa do sertanejo após prometer emprego. Na residência foram encontrados vários documentos, cartões e cheques das vítimas mencionadas.

Júlio estava foragido da Justiça depois que fugiu do presídio de Aruanã. Ele era o responsável pela cozinha da cadeia e aproveitou disso para conseguir fugir. “Um dia ele, cozinhando, dopou os agentes e conseguiu fugir de lá”, disse a delegada.
Agora ele vai ser indiciado por estelionato, falsidade ideológica, uso de documentos falsos e roubo. A polícia ainda vai seguir investigando o caso para identificar novas vítimas e saber se ele também cometeu outros crimes.

Comentários

*Os comentários aqui publicados são de responsabilidade dos usuários e não representam a opinião do site.