Cassino nas Filipinas é alvo de ataque - Foto: Philippine National Police via AP
Cassino nas Filipinas é alvo de ataque – Foto: Philippine National Police via AP

Um ataque no complexo Resorts World Manila, capital das Filipinas, deixou dezenas de mortos na madrugada desta sexta-feira (2). A rede britânica BBC, a Reuters e a France Presse (AFP) informaram que ao menos 36 pessoas morreram intoxicadas após um homem incendiar mesas no complexo. O Estado Islâmico reivindicou a ação, mas o governo descarta que ação esteja ligada a terrorismo.

A CNN afirma que a polícia voltou atrás e informou que 35 corpos foram encontrados no local na madrugada de sexta-feira no horário local (tarde de quinta-feira, em Brasília). Não está claro se o agressor está entre eles. Os mortos estavam entre o 2º e o 8º andar do complexo do Resort World Manila, que abriga um hotel, um cinema, um cassino, restaurante e shopping.

Leia também:  Homem fere 5 policiais com faca em ataque na França

O suspeito, que parecia atuar sozinho, armado com uma carabina M4, chegou até a área onde funcionava o cassino, no 2º andar, atirou com um rifle contra um monitor de televisão, espalhou gasolina em uma mesa de apostas e ateou fogo.
O homem atirou novamente em direção ao local onde as fichas de jogo eram guardadas e colocou várias fichas em uma mochila. De acordo com a polícia, o criminoso teria levado o equivalente a 113 milhões de pesos filipinos (2,3 milhões de dólares).

A ação provocou pânico entre as pessoas que estavam no local. Na fuga, ao menos 54 se feriram – alguns com gravidade. Tiros foram disparados, mas, segundo a polícia, ninguém foi atingido. Após os primeiros relatos de tiros e explosões ouvidos no complexo, o local foi isolado.

Leia também:  Fundador da revista Playboy morre aos 95 anos nos EUA
Suspeito de invadir o Resorts World Manila, na capital das Filipinas - Foto: Philippine National Police via AP
Suspeito de invadir o Resorts World Manila, na capital das Filipinas – Foto: Philippine National Police via AP

A polícia disse que o suspeito, após o ataque ao cassino, escondeu-se no quarto número 501, no quinto andar, enrolou-se em lençóis molhados com gasolina e ateou fogo. O corpo foi encontrado carbonizado. Após o incidente, a fumaça tomou conta do complexo. Para a polícia, ele buscava roubar 130 milhões de pesos filipinos (cerca de US$ 2,6 milhões) em fichas do cassino.
A ação foi reivindicada pelo grupo Estados Islâmico (EI), mas a polícia e o porta-voz da presidência afirmaram que não se trata de terrorismo, segundo a France Presse. O chefe da polícia nacional, Ronald dela Rosa, afirmou que que o incidente pode ter sido um roubo.
O chefe de polícia de Manila, Oscar Albayalde, afirmou o criminoso provavelmente era um estrangeiro. “Parecia caucasiano, falava inglês, alto e branco. Foi simplesmente um roubo e o mais provável é que tenha sido executado por um perturbado”, declarou.

Leia também:  Furacão Maria mata 9 pessoas no Caribe e chega causando muita destruição em Porto Rico

O presidente americano, Donald Trump, manifestou sua “tristeza” e suas condolências pelas vítimas do que classificou como ataque “terrorista”. “É realmente muito triste o que está acontecendo em todo o mundo com o terrorismo. Nossos pensamentos e orações estão com os afetados”, lamentou Trump.

Advertisements

Comentários

*Os comentários aqui publicados são de responsabilidade dos usuários e não representam a opinião do site.