Imagem: Avião droga
Foto: Reprodução

Em torno de 500 quilos de cocaína foram interceptados dentro de um avião bimotor, neste domingo (25), em Jussara-GO. A Força Aérea Brasileira (FAB) usou um avião A-29 Super Tucanos, para seguir o aeronave que entrou no espaço aéreo brasileiro sem autorização. A operação conhecida como Ostium tem como objetivo coibir ilícitos transfronteiriços. Essa é uma ação conjunta com a Polícia Federal e órgãos de segurança pública.

De acordo com a nota divulgada pela Aeronáutica, o avião decolou de uma Fazenda no município de Campo Novo do Parecis (MT), com destino a Santo Antonio Leverger (MT). O piloto da FAB comandou a mudança de rota e o pouso obrigatório no aeródromo de Aragarças (GO).

Leia também:  Idoso é baleado em tentativa de assalto na Gleba Rio Vermelho

Inicialmente, a aeronave interceptada seguiu as instruções da defesa aérea, mas ao invés de pousar no aeródromo indicado, arremeteu. O piloto da FAB novamente comandou a mudança de rota e solicitou o pouso, porém o avião não respondeu, sendo classificado como hostil.

Assim que os policiais desceram do helicóptero, encontraram, dentro do avião, vários tijolos de cocaína pura, totalizando meia tonelada. O piloto não foi localizado, mas a suspeita é de que ele estaria sozinho na aeronave.

“Geralmente nesse tipo de transporte o piloto viaja sozinho, justamente para trazer uma quantidade maior de drogas dentro da aeronave, e nesse caso acredito que não foi diferente, já que o avião tinha tijolos de cocaína até mesmo no banco do co piloto”, relatou o assessor de comunicação social da PM, tenente coronel Ricardo Mendes.

Leia também:  Segurança morre baleado após deixar a arma cair no chão

O A-29 da FAB executou um tiro de aviso para forçar o piloto da aeronave interceptada a cumprir as determinações da Defesa Aérea, e voltou a comandar o pouso obrigatório. O bimotor novamente não respondeu e pousou na zona rural do município de Jussara, interior de Goiás. Um helicóptero da Polícia Militar de Goiás foi acionado e fez buscas no local.

A droga está sendo trazida para a sede da Polícia Federal, que tentará identificar, pelo prefixo do avião, quem é seu proprietário, para então, descobrir quem seria o responsável pelo tráfico. A droga apreendida, segundo a PM, está avaliada em R$ 10 milhões.

Advertisements

Comentários

*Os comentários aqui publicados são de responsabilidade dos usuários e não representam a opinião do site.