Carne era vendida por preços muito abaixo do mercado - Foto: Josmar Leite/RBS TV
Carne era vendida por preços muito abaixo do mercado – Foto: Josmar Leite/RBS TV

Uma operação da Polícia Civil deflagrada nesta quarta-feira (14) em 13 cidades do Rio Grande do Sul resultou na prisão de 10 pessoas suspeitas de envolvimento em crimes relacionados com a venda de carne roubada e imprópria para consumo.

De acordo com a investigação, iniciada em agosto de 2016, a quadrilha agia de três formas: roubando o gado, cooptando funcionários de fazendas, e praticando estelionato com cheques sem fundos ou em nome de laranjas. São cumpridas 48 ordens judiciais no total.
Sobre os presos
Na cidade de Progresso, no Vale do Taquari, foi preso um ex-vereador suspeito de integrar a quadrilha. A polícia se preparava para dar início ao cumprimento dos mandados quando avistou o homem trafegando com um caminhão usado para o transporte de animais.

Leia também:  Policial reage a assalto e mata um bandido e deixa outro ferido no Rio de Janeiro

O veículo foi apreendido a poucos metros da delegacia, bem como R$ 10 mil em dinheiro e cheques. Na casa do suspeito foi apreendida uma arma e documentos sobre a venda de animais. A prisão dele foi por porte ilegal de arma e abigeato. Ele nega envolvimento no esquema.
Em um açougue localizado na Avenida Boqueirão, em Canoas, na Região Metropolitana de Porto Alegre, foi presa durante a manhã desta quarta uma mulher que é esposa do homem apontado como líder da quadrilha. Ele foi preso na cidade de Restinga Seca, na Região Central do estado, há alguns dias.

Na local, fiscais agropecuários encontraram bandejas de carne conservadas de forma imprópria. Cartazes em frente ao estabelecimento comercial mostram ofertas com preços muito abaixo do de mercado.
Outro homem apontado como um dos líderes da organização também foi preso na manhã desta quarta no distrito de Vila Mariante, em Venâncio Aires, no Vale do Rio Pardo, por organização criminosa de abigeato. Segundo a polícia, ele era responsável por aliciar funcionários de fazendas para que ajudassem a furtar gado.

Leia também:  Mulher passa mal no Planalto gritando “Michel Temer, eu te amo” e “eu não quero morrer sem te ver”
Carne era armazenada em condições impróprias para consumo humano - Foto: Josmar Leite/RBS TV
Carne era armazenada em condições impróprias para consumo humano – Foto: Josmar Leite/RBS TV

Com o preso foram apreendidos um caminhão e mais de 1,5 tonelada de carne sem procedência e imprópria para consumo.
Outros dois homens foram presos em fazendas em Quaraí e Santana do Livramento, na Fronteira Oeste.

Advertisements

Comentários

*Os comentários aqui publicados são de responsabilidade dos usuários e não representam a opinião do site.