Estelionatária se passava por advogada para aliciar índios - Foto: Reuters
Estelionatária se passava por advogada para aliciar índios – Foto: Reuters

A Polícia Federal (PF) prendeu, em Ponta Porã (MS), uma estelionatária que se passava por advogada para aliciar índios e, assim, fraudar a concessão de benefícios sociais como a aposentadoria rural.

Além de deter a falsa advogada preventivamente, a força-tarefa previdenciária apreendeu na casa da investigada documentos indígenas, carteiras de identidade e formulários de pedido de benefícios previdenciários.

Em apenas três fraudes já identificadas, o prejuízo evitado para a Previdência Social chega a R$ 600 mil. Também foram identificadas fraudes em empréstimos consignados feitos em nome de índios da etnia Kaiowá, principais alvos da ação da falsa advogada, cujo nome não foi confirmado.

A operação policial contou com a participação de representantes da Coordenação de Inteligência Previdenciária do Ministério da Fazenda e do Ministério Público Federal. Os mandados de prisão e de busca e apreensão foram expedidos pela 2ª Vara da Justiça Federal em Ponta Porã.

Leia também:  Pai se distrai regando jardim e gêmeos de 1 ano e 2 meses morrem afogados

Em 2015, a Polícia Federal já tinha desbaratado um esquema fraudulento semelhante em Amambai (MS), evitando um prejuízo de R$ 4 milhões aos cofres públicos.

Advertisements

Comentários

*Os comentários aqui publicados são de responsabilidade dos usuários e não representam a opinião do site.