O senador Wellington Fagundes (PR) foi citado pelo executivo Ricardo Mesquita, da Rodrimar, em depoimento à Polícia Federal (PF) no inquérito que investiga o presidente Michel Temer (PMDB). O caso repercutiu nesta segunda-feira (12) pela revista Época, que teve acesso aos autos das declarações e aponta o senador de Mato Grosso como um interlocutor do setor portuário, a que a Rodrimar faz parte.

Outro interlocutor de Mesquita e Temer seria o ex – deputado federal Rodrigo Rocha Loures (PMDB – PR), o “ homem da mala ” com R$ 500 mil recebidos da JBS supostamente a mando do presidente.

Nas tentativas para conseguir a prorrogação da concessão, já com Temer na Presidência, Mesquita ficou sabendo que a Casa Civil estava barrando o pedido e então ele acionou o seu “xará” Rodrigo Loures para que juntamente com o senador Wellignton Fagundes fosse interlocutores dele no setor portuário. No “português” mais claro, eles foram acionados para resolver esse problema.

Leia também:  Mara "mira" em partido do grupo de Pátio
Advertisements

Comentários

*Os comentários aqui publicados são de responsabilidade dos usuários e não representam a opinião do site.