Imagem: idosa
Foto: Reprodução

O Governo do Estado lança na próxima segunda-feira (12), às 14h, no auditório Clóves Vettorato, no Palácio Paiaguás, o programa Muxirum da Alfabetização. A iniciativa vai implantar ações conjuntas com os municípios para assegurar a alfabetização de pessoas jovens, adultas e idosas. Hoje, a taxa de analfabetismo em Mato Grosso é de 5,9%, na faixa etária que vai dos 15 aos 69 anos, segundo dados do IBGE/PNAD/2014.

Inicialmente, nove municípios mato-grossenses foram selecionados para a implantação do programa, a partir da situação geográfica e pelo índice de analfabetismo, de acordo com dados da Secretaria de Planejamento de Mato Grosso (Seplan), para pessoas com idade de 15 anos ou mais.

São eles: Acorizal, com 914 pessoas analfabetas, ou seja 19,8% da população do município, Chapada dos Guimarães, com 1.554 (10,6%), Ipiranga do Norte, com 180 (4,3%), Jangada, com 1.042 (17,1%), Nossa Senhora do Livramento, com 1.863 (19,1%), Nova Brasilândia, com 643 (16,9%), Planalto da Serra, com 255 (11,6%), Tapurah, com 381 (4,4%) e Várzea Grande, com 10.294 (4,9%).

Leia também:  Projetos de ressocialização em presídios de MT são selecionados ao Prêmio Innovare

Ao todo, são 16.212 pessoas analfabetas nestas regiões e a meta do programa é alfabetizar 11.200 delas, até dezembro de 2018. Para isso, 207 alfabetizadores foram capacitados e já estão atuando nas localidades.

As aulas, que começaram no mês de maio, serão em escolas das redes municipais e estadual, salões paroquiais, centros comunitários, sedes de fazendas e até mesmo nas residências dos alfabetizadores.

Parceria

Para o andamento do projeto, a Seduc garante a formação de coordenadores e de formadores de turmas, o custeio de bolsas aos alfabetizadores, a cessão de salas de aulas em prédios do Estado e demais necessidades.

A Seduc vai investir aproximadamente R$ 3,7 milhões no programa.

Caberá aos municípios mobilizar a sociedade, selecionar e manter os coordenadores locais, vinculados às Secretarias Municipais de Educação, auxiliar na busca de pessoas analfabetas, ceder espaços funcionais, entre outros.

Leia também:  BR-163 gera cerca de 2 toneladas de lixo por dia em 2016

A palavra “muxirum”, muito comum no linguajar cuiabano, é de origem tupi e significa “mutirão”, “fazer juntos”.

Advertisements

Comentários

*Os comentários aqui publicados são de responsabilidade dos usuários e não representam a opinião do site.