Imagem: Produção de gado
Foto: Reprodução

Mato Grosso abateu no primeiro trimestre de 2017 um volume de 1,116 milhão de cabeças de gado. A quantidade é praticamente “estável” em relação as 1,117 milhão de cabeças enviadas aos frigoríficos no período em 2016. Entre o final de março e o início de abril, 13 frigoríficos bovinos chegaram a suspender os trabalhos ou paralisar parcialmente em decorrência as restrições impostas pelo comércio externo diante a Operação Carne Fraca. Além de líder em produção, o Estado é responsável por 15,1% dos 7,369 milhões de bovinos abatidos no Brasil.

Os números constam nos resultados do primeiro trimestre de 2017 das Pesquisas Trimestrais do Abate de Animais, Trimestral do Leite, Trimestral do Couro e Produção de Ovos de Galinha, divulgados nesta quarta-feira, 14 de junho, pelo Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE).

Leia também:  Onça-pintada resgatada de fazenda em MT é levada para associação em SP

De acordo com o IBGE, no Brasil houve um incremento de 0,7% nos abates de bovinos no primeiro trimestre de 2017. Atrás de Mato Grosso com seus 1,116 milhão de animais abatidos, estão o Mato Grosso do Sul com 845,9 mil cabeças, Goiás com 746,3 mil, Pará com 682,8 mil, São Paulo com 647,8 mil e Minas Gerais com 617,8 mil.

O volume de suínos abatidos em Mato Grosso cresceu 9,9%, saltando de 553,5 mil animais no primeiro trimestre de 2016 para 608,2 mil animais em 2017. O Estado é o quinto com maior volume de suínos abatidos, estando atrás apenas de Santa Catarina com 2,8 milhões de cabeças, Paraná com 2,1 milhões, Rio Grande do Sul com 2 milhões e Minas Gerais com 1,2 milhão.

Leia também:  Itiquira | MPE realiza solenidade de encerramento do Projeto João Cidadão nesta terça-feira

A pesquisa revela ainda que os abates de frangos somaram 61 milhões de cabeças, 3,1% a menos que as 62,9 milhões do primeiro trimestre de 2016. O IBGE revela, ainda, que foram captados 138,3 milhões de litros de leite, 7% a menos que os 148,7 milhões de litros do período o ano passado.

Advertisements

Comentários

*Os comentários aqui publicados são de responsabilidade dos usuários e não representam a opinião do site.