Com o objetivo de facilitar o atendimento de ocorrências graves em Mato Grosso, o deputado estadual Guilherme Maluf (PSDB) apresentou o projeto de lei nº 205/2017, que dispõe sobre a uniformização dos canais de comunicação de emergência no estado.

O projeto propõe a instituição de um Número Único Mato-Grossense de Emergências (NUME), para o qual os cidadãos poderão ligar para comunicar ocorrências policiais, de saúde, que necessitem de atendimento dos bombeiros e quaisquer outras que o Poder Público entender necessárias.

Em Mato Grosso, há atualmente diversos números para comunicação de emergência, como o da Polícia Militar (190), da Polícia Civil (197), dos Bombeiros (193), do Samu (192), dentre outros.

“Nossa intenção é facilitar o acesso e proporcionar um atendimento mais célere aos cidadãos. Iniciativas como essa já são adotadas nos Estados Unidos, onde vigora o número 911, na União Europeia, com o 112, e no estado de Pernambuco, no Brasil, que é pioneiro nesse sentido com o número 190”, ressalta Guilherme Maluf.

Leia também:  Primavera do Leste e Mirassol D´Oeste elegem os novos prefeitos

O NUME adotado em Mato Grosso será definido pelo Governo do Estado, que também poderá criar um canal único de atendimento por aplicativo de mensagem.

O projeto prevê ainda que as chamadas e as mensagens sejam recebidas a partir de uma Central de Atendimento de Chamadas de Emergência, que utilizará a estrutura existente de atendimento a esses tipos de chamadas.

Consulta Popular

Na semana passada, Guilherme Maluf promoveu uma enquete em sua página no Facebook para saber a opinião das pessoas e a maioria delas se posicionou favorável ao projeto.

“Na minha opinião é uma boa ideia. Facilitará bastante para as pessoas porque muitas vezes na hora do nervoso e desespero a gente acaba até esquecendo alguns números de emergência. Isso pode acontecer com qualquer um e assim a gente fica somente com um número em nossas mentes. Gostei da ideia, só espero que dê certo”, manifestou-se Rosemary Matos.

Leia também:  Adonias busca soluções para resolver situação da UTI Pediátrica de Rondonópolis

“Muito boa proposta. Acredito que poderá salvar muitas vidas, além diminuir custo”, avaliou Fátima Dragooni.

A superintendente do Samu MT, Graziela Pacheco, demonstrou preocupação quanto à extinção do número 192 para atendimento de urgências, pois, segundo ela, se isso acontecer o Samu deixará de receber recursos federais, o que prejudicaria a continuidade dos serviços.

Guilherme Maluf, no entanto, explicou à gestora que, caso o projeto seja aprovado, a definição do número único será feita pelo Governo do Estado e que nada impede que este seja o 192.

Advertisements

Comentários

*Os comentários aqui publicados são de responsabilidade dos usuários e não representam a opinião do site.