Imagem: Albanismo
Foto: Reprodução

Tecnicamente, albinismo é uma incapacidade do corpo em produzir melanina, a substância que dá cor à pele e até ao cabelo. Sem os devidos cuidados, o quadro favorece o envelhecimento precoce e o surgimento do câncer de pele. Uma a cada 20 mil pessoas apresentam essa condição, o que a coloca na categoria de doenças raras.

Mas o albinismo é muito mais do que isso. Em homenagem ao Dia Mundial de Conscientização do Albinismo (celebrado no 13 de junho), entidades como a Sociedade Brasileira de Dermatologia divulgaram um vídeo no qual o músico brasileiro Hermeto Pascoal comenta sua vida com esse distúrbio. O material faz parte de uma campanha dessas organizações.

“Eu gosto muito da minha cor, eu acho que ela que me influencia a fazer muitas coisa”, resume ele. Não dá para perder:

Leia também:  Quando a mente sofre, o AVC fica à espreita

Cuidados com o albinismo

O albino não consegue se defender dos raios solares. Para eles, aquelas boas e velhas medidas protetoras com o sol — passar protetor, ficar na sombra… — são especialmente importantes para prevenir tumores e envelhecimento da pele. “Mas, com orientação e cuidados adequados, as queimaduras solares e demais danos na pele podem ser prevenidos, melhorando muito a qualidade de vida futura dos pacientes”, resume Carolina Marçon, médica da Sociedade Brasileira de Dermatologia.

Como diz Hermeto Paschoal: “Os momentos que são aparentemente mais difíceis, para mim são os mais maravilhosos. Porque são a provação. O mundo é provação, meu amigo”.

Advertisements

Comentários

*Os comentários aqui publicados são de responsabilidade dos usuários e não representam a opinião do site.