Assaltantes abandonaram o caminhão com pacotes de dinheiro e fugiram - Foto: Cláudio Gomes/TV Anhanguera
Assaltantes abandonaram o caminhão com pacotes de dinheiro e fugiram – Foto: Cláudio Gomes/TV Anhanguera

Os criminosos que explodiram a agência do Banco do Brasil em Gurupi, sul do Tocantins, na noite deste domingo (11), abandonaram um caminhão e duas caminhonetes durante a fuga. Nos veículos, a polícia encontrou pacotes de dinheiro e contabiliza o valor que já soma R$ 5,4 milhões. Os suspeitos também deixaram para trás 68,7 kg de dinamites. Os veículos foram deixados num matagal, em uma fazenda, perto de Cariri do Tocantins. Até as 14h desta segunda-feira (12) nenhum suspeito havia sido preso.

Ainda segundo o delegado, 12 a 20 criminosos participaram do assalto. Eles invadiram a cidade, explodiram a agência do Banco do Brasil, fizeram reféns e incendiaram carros. Depois fugiram dando tiros. Algumas lojas tiveram as vidraças quebradas. Uma mulher foi atingida durante o tiroteio e precisou passar por cirurgia. A ação é conhecida como crime do “novo cangaço”. Os assaltantes invandem a cidade, roubam e fogem deixando pânico e destruição.

Leia também:  Suspensão de processo da tragédia em Mariana gera protesto em MG

Oliveira informou ao G1 o dinheiro foi deixado para trás por causa do cerco feito pela Polícia Militar. Os homens fugiram pela pista do aeroporto da cidade.

Segundo o delegado, a suspeita é que o grupo faça parte da ‘Quadrilha dos Pipocas’, organização especializada em assalto a bancos e a carros-fortes. A quadrilha, do Ceará, em uma das mais articuladas do país.
Na madrugada de domingo, um homem de 45 anos foi preso pela Polícia Rodoviária Federal na BR-153, perto de Gurupi. A polícia informou que ele é membro dessa quadrilha e foi capturado durante uma abordagem, porque tinha um mandado de prisão em aberto pelo crime de homicídio.

O delegado acredita que esse homem estava a caminho de Gurupi para participar da ação. “Essa é uma das nossas hipóteses”, disse.
A Polícia Militar disse que intensificou as buscas no intuito de localizar os suspeitos.

Leia também:  Moradores de rua se unem e espancam suspeito de estupro em SP
Advertisements

Comentários

*Os comentários aqui publicados são de responsabilidade dos usuários e não representam a opinião do site.