Rondonópolis até o momento, foram pagos cerca de R$ 73 milhões de impostos.

Em 2017, mais de 40% do rendimento médio do brasileiro é utilizado para pagamento de impostos e tributos, o que corresponde a 151 dias de trabalho (de 1º de janeiro até hoje) e só depois dessa data é que trabalhador passa a ter o ganho para si.

Rondonópolis está participando pela primeira vez da 9ª edição da campanha comandada pela entidade Câmara de Dirigentes Lojistas Jovem (CDL Jovem), oferecendo aos consumidores etanol sem as taxas de impostos ao custo de R$ 1,95 o litro; para conscientizar a população sobre a alta carga de impostos no Brasil e apoiar a simplificação tributária, e simboliza a data em que o trabalhador deixa de trabalhar apenas para quitar os tributos com os governos federal e locais.

Leia também:  Morre Eloy Prata, pioneiro de Rondonópolis

O Brasil está em sétimo colocado no ranking mundial de país com alta carga tributária com valor médio de 69,2% de impostos totais, segundo levantamento do site Business Insider, usado como referência no Fórum Mundial em 2016. O país está da Argentina (137,4%), primeira no ranking, Bolívia (83,7%), Tajiquistão (81,8%), Argélia (72,7%), Mauritânia (71,3%) e logo atrás da Colômbia (69,7%). Segundo o relatório quanto mais alto o índice de carga tributária total, menor a competitividade no mercado.

No ranking de países onde menos se paga imposto é Brunei (8,7%), Qtar (11,6%), Macedônia (12,9%), Kwait (13%), Bahrain (13,5%), Lesoto (13,6%), Arábia Saudita (15%), Emirados Árabes Unidos (15,9%), Geórgia (16,4%) e Cingapura (18,4%). Os dados também são do site Businer Insider.

Leia também:  Cáritas Diocesana realiza projeto: 75 anos em defesa da vida
Advertisements

Comentários

*Os comentários aqui publicados são de responsabilidade dos usuários e não representam a opinião do site.