A saída do ex-governador Silval Barbosa (PMDB) da cadeia deixou evidenciada que os partidos do Movimento Democrático Brasileiro (PMDB) e dos Trabalhadores (PT), tem em suas fileiras os protagonistas de atos escabrosos de corrupção.

Como diz o velho ditado, “Rapadura é doce, mas não é mole não”, agora os caciques e principais nomes dos dois partidos no estado terão que se explicar perante a Justiça, já que Silval, entregou o esquema que desviou R$ 600 mil para a campanha de Lúdio Cabral (PT) em 2014.

Silval afirmou que Lúdio, o então candidato ao governo na chapa junto com Teté Bezerra (PMDB) e o advogado e ex-presidente da Ordem dos Advogados do Brasil, Francisco Faiad (PMDB), que foi secretário de Silval, sabiam que os recursos tinham como origem desvios dos cofres públicos.

Leia também:  Blairo estuda projeto alternativo

Como em todo o país os dois partidos estão no centro das denúncias de corrupção, só resta saber quais serão os próximos nomes que virão à tona.

Advertisements

Comentários

*Os comentários aqui publicados são de responsabilidade dos usuários e não representam a opinião do site.