Imagem: Rodrigo em reunião
Foto: assessoria

O vereador e presidente da Câmara de Rondonópolis, Rodrigo da Zaeli (PSDB), acompanhou o dia letivo de crianças com transtorno do espectro autista. O legislador participou de duas aulas na Escola Estadual Odorico Leocádio da Rosa, no bairro Belo Horizonte. O objetivo é conhecer o dia a dia das crianças e a necessidade do acompanhamento de uma profissional auxiliar para este aluno especial.

A visita contou com a presença da tesoureira e da presidente da Associação Rondonopolitana de Pessoas com Transtorno de Espectro Autista – ARPTA, Elisângela Souza e Rosemary de Aquino, respectivamente. Segundo elas, a maior preocupação é com relação a falta de informação das pessoas. “Há situações em que a família não aceita a doença do filho e isso dificulta o desenvolvimento da criança”, explicou Rosemary.

Leia também:  Câmara garante destinação de materiais sem condições de uso

Elisângela Souza destacou a importância do acompanhamento do vereador à uma criança com o transtorno, principalmente porque a luta das mães e da associação têm sido solitária. “Me emocionei ao saber que o vereador faria esta visita. Algumas unidades ainda não tem a auxiliar para acompanhar os alunos que precisam de acompanhamento. A rede estadual passou a contar com o auxílio em março, antes disso as crianças, diagnosticadas com o transtorno em grau médio ou grave, ficaram impedidas de irem à escola, pois é impossível garantir à ela e aos colegas de turma o aprendizado e a socialização”, disse.

Ela acrescentou que a necessidade da profissional não é apenas para as crianças que têm o Transtorno de Espectro Autista mais elevado. “Muitas crianças dão trabalho com a auxiliar, sem elas seria impossível, pois as crianças com o transtorno precisam de comando direto. Ficando impossível para um professor de 25 crianças, dar atenção individual e exclusiva à um aluno especial. As crianças, sejam elas com grau leve ou mais severo, precisam da ajuda de uma profissional qualificada, que saiba o que é e como lidar com os que têm o transtorno. Eles precisam de ajuda para ir ao banheiro, beber água e, principalmente, não conseguem ficar sozinho no intervalo”, defendeu.

Leia também:  Thiago Silva repudia fechamento de UTI Pediátrica e cobra providências do Governo Estadual

O legislador pretende buscar informações junto ao município para verificar se a rede de ensino da cidade disponibiliza o auxiliar para os alunos que necessitam do acompanhamento. “Farei um requerimento solicitando da Secretaria Municipal de Educação informações referentes ao número de alunos com Transtorno de Espectro Autista, se há o acompanhamento e em quais escolas elas estão matriculadas. É uma causa importante e estas crianças precisam de uma atenção especial do poder público”, concluiu

Advertisements

Comentários

*Os comentários aqui publicados são de responsabilidade dos usuários e não representam a opinião do site.