Imagem: cadeiaO advogado Robson Medeiros foi preso nesta quinta-feira (20) pela Polícia Civil suspeito de manter um deficiente físico em condições análoga à de escravo em uma fazenda em Colniza. A vítima, que teve uma perna amputada e perdeu a visão de um olho em acidentes de trabalho. O trabalhador, que tem hanseníase, disse que teve parte de uma das pernas roída por ratos enquanto dormia. Medeiros teve a prisão decretada pela Justiça.

O resgate do deficiente foi feito no dia 7 de julho, depois de uma denúncia na Central de Atendimento de Direitos Humanos, o Disque 100. Ele vivia perto de um chiqueiro na fazenda, em um quarto cheio de ratos, conforme contou à polícia. O local também era usado como depósito de produtos agropecuários, rações e ferramentas de trabalho.

Leia também:  Após colisão frontal de carretas, caminhoneiro morre e veículo pega fogo na BR-364

Há quatro meses, conforme relato à Polícia Civil, a vítima disse que teve parte da perna roída por ratos enquanto dormia e que só percebeu a situação depois que acordou e viu as poças de sangue no chão. Por causa da deficiência, o trabalhador não pode fazer a própria comida e depende de outros funcionários da fazenda.

Ele também contou à polícia que os documentos pessoais estão, há cerca de um ano, com o ex-sogro do advogado, que supostamente daria a entrada no processo de aposentadoria dele. Em vistoria, a polícia verificou que os banheiros estavam adequados, mas que ficavam trancados com cadeado e corrente, e os funcionários tinham que tomar banho de mangueira atrás da casa.

Leia também:  Polícia apreende 2,5 mil tênis, anabolizantes e medicamentos durante operação

Uma família que mora na fazenda também contou que trabalha sem carteira assinada. A filha do casal, de 13 anos, relatou à polícia que o patrão a convidou para ter relações sexuais com ele e a mulher.

Advertisements

Comentários

*Os comentários aqui publicados são de responsabilidade dos usuários e não representam a opinião do site.