Estudante que viajou como turista ao país asiático e acabou em coma após ser condenado a 15 anos de trabalhos forçados - Foto: Kim Kwang Hyon / AP Photo
Estudante que viajou como turista ao país asiático e acabou em coma após ser condenado a 15 anos de trabalhos forçados – Foto: Kim Kwang Hyon / AP Photo

O governo dos Estados Unidos proibirá em breve as viagens de seus cidadãos à Coreia do Norte, após a morte de Otto Warmbier, o estudante que viajou como turista ao país asiático e acabou em coma após ser condenado a 15 anos de trabalhos forçados por tentar roubar um cartaz de propaganda.

“Devido às preocupações crescentes pelo grave risco de prisão e detenção de longo prazo sob o sistema legal norte-coreano, o secretário (de Estado, Rex Tillerson) autorizou uma Restrição de Viagens Geográficas a todos os cidadãos americanos para viagens à Coreia”, afirmou em um comunicado a porta-voz do Departamento de Estado dos EUA, Heather Nauert.

“Uma vez que entrar em vigor, os passaportes americanos não serão válidos para viajar para, por e na Coreia do Norte, e as pessoas deverão obter um passaporte com uma validação especial para viajarem à Coreia do Norte e dentro do país”, acrescentou o departamento na nota.
Segundo a porta-voz, as pessoas que desejam viajar à Coreia do Norte para “determinados fins humanitários e de outro tipo” podem solicitar ao Departamento de Estado um passaporte de validação especial.

Leia também:  Duas crianças ficam gravemente feridas ao serem baleadas dentro de creche por coleguinha

Aparentemente, a proibição será anunciada no próximo dia 27 de julho e entrará em vigor 30 dias depois, segundo detalhou à Agência Efe um dos cofundadores da Koryo Tours, Nicholas Bonner, com base na informação da Embaixada da Suécia em Pyongyang, que colabora com os EUA em assuntos consulares da Coreia do Norte.

Advertisements

Comentários

*Os comentários aqui publicados são de responsabilidade dos usuários e não representam a opinião do site.