Começa o julgamento dos acusados de matar jovem em padaria em 2011

Começa o julgamento dos acusados de matar jovem em padaria em 2011

Julgamento do acusado de homicido ocorrido no Jardim Iguaçu - Foto: Varlei Cordova / AGORA MT
Julgamento do acusado de homicido ocorrido no Jardim Iguaçu – Foto: Varlei Cordova / AGORA MT

Começou nesta manhã de quinta-feira (06) no Tribunal do Júri de Rondonópolis o julgamento de José Pereira de Carvalho e Uanderson Silva Reis, acusados pelo crime de homicídio ocorrido no dia 18 de novembro de 2011, que vitimizou o jovem Cristian Cerqueira Reis de 18 anos, no Jardim Iguassu.

Acusado de homicidio vai a juri - Foto: Varlei Cordova / AGORA MT
Acusado de homicidio vai a juri – Foto: Varlei Cordova / AGORA MT

A sessão do júri será presidida pelo juiz Wladymir Perri, titular da 1ª Vara Criminal. A defesa dos acusados será feita pelo advogado Júnior Mendonça e Onivaldo Dias de Souza, onde ambos disseram estar com expectativas de vitória sobre o caso, por alegarem não ter provas concretas de que os acusados cometeram o crime.

Junior Mendonça advogado - Foto: Varlei Cordova / AGORA MT
Junior Mendonça advogado – Foto: Varlei Cordova / AGORA MT

“A nossa tese é a absolvição pela insuficiência de provas, uma vez que em momento nenhum foi convalidado provas que levassem o sentido de certeza de autoria dos crimes, muito pelo contrário, as testemunhas que foram ouvidas nas delegacias e no inquérito policial, sempre falam que ouviram dizer e falar, mas nunca provaram quem foi e nem como, não tem testemunhas oculares, não tem confissão. Acreditamos no discernimento dos jurados, vai dar certo”, pontua advogado Junior Mendonça.

Leia também:  Jovem sofre tentativa de homicídio no Jardim Atlântico

O Ministério Público está no local e em defesa de Cristian Cerqueira Reis, fez a denúncia dos acusados, onde o MPE alega, que a motivação para o crime pode estar relacionada a um empréstimo de veículo entre um dos acusados e a vítima, uns dias antes do delito, conforme consta na denúncia. Até o momento nenhum parente, ou conhecidos da vítima, compareceram ao Tribunal.

Onivaldo Dias de Souza Advogado - Foto: Varlei Cordova / AGORA MT
Onivaldo Dias de Souza Advogado – Foto: Varlei Cordova / AGORA MT

De acordo com o representante do réu Uanderson Silva Reis, representado pelo advogado Onivaldo Dias Souza, não existe veracidade dentro de um contexto de provas.”Nós podemos ter a serenidade e convicção de que não será outra a decisão dos nobres jurados, a não ser pela absolvição. Uma vez que esse processo já tem anos, mas desde o crime, até hoje, nada de concreto pode ser dado para o caso, como sendo acusados, não existe provas e nem deveria ter chegado até aqui, com a ajuda de Deus eles serão colocados em liberdade”, discorreu.

Leia também:  Dois são presos e menor é apreendido por associação ao tráfico de drogas

O Caso

Cristian Cerqueira Reis, 18 anos, foi executado com vários tiros na noite do dia 18 de Novembro de 2011, dentro de uma panificadora no Jardim Participação. O jovem era natural de Corumbá (MS) morava no bairro Vila Aurora.

Segundo informações da PM que esteve no local do crime, chegaram dois indivíduos em uma moto, o garupa desceu da moto com a arma em punho, e atirou contra Cristian, acertando a sua perna. Cristian saiu correndo pela rua e foi perseguido pelo atirador, que há alguns metros adiante acertou vários tiros nas costas da vítima que não resistiu.

 

Advertisements

Comentários

*Os comentários aqui publicados são de responsabilidade dos usuários e não representam a opinião do site.