Estudos revelam que os cuidados com a saúde bucal são de grande relevância para o paciente oncológico, não somente no período que antecede o tratamento, mas, também, durante e pós-intervenção.
O ideal, no entanto, é que tais pacientes sejam examinados pelo cirurgião-dentista, tão logo tenham sua doença diagnosticada, para que o tratamento bucal, preferencialmente, anteceda o oncológico.
Segundo Franceschini et al., o sucesso da quimioterapia requer cuidados odontológicos pré-terapêuticos, prevenindo e preparando o paciente para os efeitos secundários da terapia, tendo o odontólogo um papel ativo na manutenção e recuperação do paciente.
Como exemplo, podemos citar pacientes imunodeprimidos, isto é, quando perdem as defesas em consequência da quimioterapia podem desenvolver uma infecção na boca, com a probabilidade de ela se espalhar pelo corpo, provocando um problema sério de saúde, em alguns casos, correndo até risco de morte.
Ressaltamos que o preparo odontológico do paciente não deve gerar qualquer interferência no tratamento médico proposto, mas sim, contribuir e se adequar a cada caso. Dentre os efeitos colaterais, bastante comuns aos pacientes que realizam a quimioterapia e/ou radioterapia, podemos citar:

Leia também:  Quando até a indignação é corrompida

1. Mucosite (aftas grandes espalhadas por toda a boca e extremamente dolorosas)
2. Trismo (dificuldade e/ou limitação da abertura bucal).
3. Perda do paladar
4. Xerostomia (o paciente fica com a boca muito seca, dificultando assim a fala, mastigação, a deglutição e a formação do bolo alimentar).
5. Gengivite
6. Aumento do risco de cárie
7. Dores na articulação que movimenta a boca (ATM)
8. Mau-hálito
9. Infecções
10. Candidíase
11. Osteorradionecrose (necrose óssea).
12. Hemorragias

Para realizar o tratamento e então amenizar os problemas bucais é fundamental, antes de tudo, que durante toda a intervenção, e até mesmo antes de começá-la, o paciente tenha um acompanhamento odontológico especializado.
Algumas recomendações são de grande valia aos pacientes durante o tratamento oncológico:

Leia também:  Redução de mama: com ou sem prótese de silicone?

1. Higiene bucal adequada, ainda que a região da boca esteja dolorida;
2. Dar preferência às escovas de cerdas extremamente macias;
3. Evitar alimentos ácidos, picantes, salgados e secos;
4. Remover a dentadura, se for o caso, e fazer sua limpeza adequadamente;
5. Beber muita água;
6. Mascar chicletes sem açúcar, para estimular a salivação;
7. Escolher alimentos saudáveis e fáceis de mastigar e engolir;
8. Evitar alimentos ricos em açúcar, que possam causar cárie;
9. Usar protetores labiais à base de lanolina;
10. Não utilizar enxaguante bucal com álcool;
11. Suspender tratamento ortodôntico.

De fato, é de grande importância a presença de um cirurgião-dentista no tratamento do paciente oncológico. Juntamente com a equipe esse profissional proporcionará mais conforto e bem estar durante as diversas fases do tratamento, garantindo, assim, uma melhor qualidade de vida ao paciente.

Leia também:  O uso excessivo da internet causa doenças?

Dra. Daniela Parente Lopes Bastos – CROMT 4312
Odontologia Biológica; Otimização Metabólica; Harmonização Orofacial
End: LA SOFIE Espaço Empresarial. R. Elenita de Castro Cardoso, 617. Vila Aurora – Rondonópolis. Telefones: (66) 3022-6010 / 99607-1016
Site:www.dradanielabastos.com / Facebook: dradanielabastos / Instagram: dradanielabastos

Advertisements

Comentários

*Os comentários aqui publicados são de responsabilidade dos usuários e não representam a opinião do site.