MST invade fazenda do Senador Blairo Maggi em Rondonópolis - Foto: Varlei Cordova/ AGORA MT
MST invade fazenda do Senador Blairo Maggi em Rondonópolis – Foto: Varlei Cordova/ AGORA MT

Com gritos de “Fora Temer” e “Fora Maggi” cerca de 500 manifestantes do Movimento dos Trabalhadores Rurais Sem Terra (MST) da região centro-oeste, ocupam a fazenda do ministro da Agricultura, Blairo Maggi (PP), nesta manhã (25). A propriedade é em Rondonópolis às margens da BR-163. Eles alegam que o movimento é parte da Jornada Nacional de Luta pela Reforma Agrária. A área ocupada é um dos latifúndios do Grupo Amaggi (SM 02).

MST invade fazenda do Senador Blairo Maggi - Foto: Varlei Cordova/ AGORA MT
MST invade fazenda do Senador Blairo Maggi – Foto: Varlei Cordova/ AGORA MT

Os manifestantes ocuparam a sede da fazenda, interditando a entrada e saída de pessoas que não sejam do movimento ou funcionários do local. Os serviços da propriedade foram interrompidos, segundo a coordenadora do MST Idalice Nunes, os funcionários estão de “férias provisória” durante dez dias, período que a manifestante afirmou permanecer na propriedade.

Leia também:  Agosto Dourado | Hora do Mamaço: É preciso valorizar o aleitamento materno

Conhecido como “Rei da Soja”, Maggi é dono de um grande império econômico, o grupo Amaggi, onde também está envolvido em conjunto de denúncias de uso das legislaturas, como o de senador, para legislar em causa própria e para o fortalecimento das empresas de agronegócio. O que mobilizou também os manifestantes para tal movimento.

Idalice Nunes coordenadora estadual do MST - Foto: Varlei Cordova/ AGORA MT
Idalice Nunes coordenadora estadual do MST – Foto: Varlei Cordova/ AGORA MT

De acordo com Idalice Nunes, Coordenadora Estadual do MST-MT a ocupação serve para denunciar o maior produtor de soja e o que mais induz ao consumo de agrotóxico além de ver o movimento como uma forma de abortar a corrupção. “Essa ocupação está acontecendo em todo o Brasil, o objetivo é fazer denúncia contra a corrupção, porque o Blairo é ministro, mas ele também é senador e a qualquer momento ele se coloca nesse posto, para aprovar o que é conveniente para ele. Nós esperamos ser ouvidos, pelo Congresso, não vamos ficar calados”, explica.

Leia também:  Sanear contrata nova empresa de manutenção de asfalto

Os manifestantes alegaram em nota, que a luta é também porque o ministro apoiou através da bancada ruralista no Senado, as reformas trabalhistas e previdenciárias, além da medida provisória 759 que tem como finalidade principal regularizar a grilagem de terras e ampliar o mercado de terras usando a titulação definitiva dos assentamentos.

Segundo o MST, a ocupação faz parte da jornada nacional de luta pela reforma agrária com o lema “Corruptos, devolvam nossas terras! ”. Alegam estar lutando pela desapropriação de terras para assentar mais de 130 mil famílias e nela produzir alimento saudável na agroecologia e gerar empregos no campo.

Ten Cell Arruda na invasão da fazenda do Senador Blairo - Foto: Varlei Cordova/ AGORA MT
Ten Cell Arruda na invasão da fazenda do Senador Blairo – Foto: Varlei Cordova/ AGORA MT

A Polícia Militar está no local e afirmou que manterá a segurança, da propriedade, dos funcionários e os manifestantes. “Já fizemos um acordo com a líder do movimento para não ocorrer manifestação com excessos, mantendo sempre a ordem. Aguardaremos a negociação para saber como será feita a retirada dos sem terras, entendemos que é uma luta nacional e pedimos que não haja depredação do local”, aponta Coronel Arruda.

Outras ocupações No Brasil

Leia também:  Rotaract Club de Rondonópolis realiza troca de diretoria para 2017/2018

Rio de Janeiro – 200 representantes do MST invadem fazenda do ex-presidente da CBF Ricardo Teixeira em Piraí.

São Paulo – De acordo com o MST, 800 integrantes do movimento participam da ocupação invadiram a Fazenda Esmeralda, entre Duartina e Lucianópolis (SP)

Advertisements

Comentários

*Os comentários aqui publicados são de responsabilidade dos usuários e não representam a opinião do site.