Mato Grosso está entre os sete Estados que apresentaram aumento nas notificações de chikungunya nos seis primeiros meses do ano. Em um comparativo de janeiro a junho de 2016, em Mato Grosso, as notificações subiram de 486 para 2.240 no mesmo período de 2017, uma alta de 360%.

Essas regiões que tiveram aumento são contrárias à tendência nacional, já que o país teve uma queda geral de 42% nos casos da doença. Esses números foram contabilizados até a 52ª semana epidemiológica, que terminou no dia 24 de junho, e foram divulgados pelo Ministério da Saúde.

O estado com o maior número absoluto de casos é o Ceará, com 80.045 registros. Já Roraima apresentou a maior alta, de 2.635%, passando de 60 casos nos primeiros seis meses de 2016 para 1.641 em 2017.Tocantis, Ceará, Minas Gerais e Espírito Santo também integram a lista de crescimento das notificações.

Leia também:  Governo dá primeiro passo para concessão do Marechal Rondon e mais 4 aeroportos de MT

Segundo os especialistas, os sete estados não apresentaram um perfil comum que justifique a alta. Os prováveis motivos apontados são clima propício, seca e aumento da população de Aedes aegypti.

Advertisements

Comentários

*Os comentários aqui publicados são de responsabilidade dos usuários e não representam a opinião do site.