Imagem: trabalho escravo
Foto: Ilustrativa

Nos primeiros seis meses deste ano, Mato Grosso registrou oito casos de tráfico de pessoas para trabalho análogo ao de escravos. Os dados são da Secretaria de Segurança Pública (Sesp-MT), que diz que o número pode ser ainda maior, já que em muitos casos a pessoa traficada não tem conhecimento de estar sendo vítima desse crime. Esse tipo de tráfico também pode ser cometido para fins de exploração sexual e adoção irregular.

Entre 2011 e 2016 foram registrados 17 casos de tráficos de pessoas no estado, apontam dados da Coordenadoria de Estatística e Análise Criminal da Sesp-MT. Segundo a pasta, a maior parte do crime de tráfico, cerca de 70%, é para exploração dentro do país de origem.

Em Mato Grosso, dois números são disponibilizados para fazer denúncia sobre tráfico de pessoas: o disque 100 e o 180, ambos gratuitos. O crime também pode ser informado nas polícias Civil e Federal e nos ministérios públicos Federal e Estadual.

Advertisements

Comentários

*Os comentários aqui publicados são de responsabilidade dos usuários e não representam a opinião do site.