A possibilidade de ida de Jair Bolsonaro, que está filiado ao PSC, para o Partido Ecológico Nacional, o PEN, tem gerado preocupação nos líderes da sigla cristã. Pois, na verdade, o grupo conta com a força do nome Bolsonaro para turbinar os candidatos aos cargos proporcionais nas eleições do ano que vem.

O PSC acredita que tendo um pré-candidato bem cotado ao cargo de presidente, como é o caso de Bolsonaro, as chances de ampliar as bancadas tanto no Congresso como nas Assembleias de todo o país aumentariam e sem o nome de Bolsonaro, a sigla pode perder muito espaço dentro da formação das bancadas federais e estaduais.

Bolsonaro deve definir o seu destino político em março do ano que vem, quando abre a janela para troca de partidos.

Leia também:  Percival e mais três deputados de antiga legislatura não são delatados
Advertisements

Comentários

*Os comentários aqui publicados são de responsabilidade dos usuários e não representam a opinião do site.